Zoneamento no bairro Bom Retiro


A questão da possível revisão do zoneamento do Bairro Bom Retiro, em Blumenau, foi amplamente discutida na reunião de quarta-feira do Conselho Municipal de Planejamento Urbano (Coplan). Vários conselheiros concordaram que é necessário revisar os padrões de construção estabelecidos em 2010, com a revisão do Plano Diretor. Ficou acordado que a Secretaria Municipal de Planejamento vai elaborar uma proposta inicial de revisão a ser avaliada pelo conselho antes de encaminhar para audiência pública. O secretário Alexandre Gevaerd quer a participação do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) nesse processo.
O tema veio à tona quando dois projetos de novos prédios de 18 andares foram encaminhados para avaliação do Conselho Municipal de Patrimônio Histórico Edificado. Preocupados com o impacto dessas novas obras no bairro, onde há mais de 20 imóveis tombados pelo patrimônio histórico, os conselheiros adiaram a análise dos projetos e sugeriram uma revisão do zoneamento da área.

Fonte : Coluna Mercado Aberto

Parece que um problema que afeta os moradores do bairro finalmente vai ter decisão definitiva. Os dois novos projetos provavelmente terão de se adequar. Se o limite voltar a 4 andares, talvez até desistam dos empreendimentos.
Achei válido o comentário do André Silva na postagem sobre esse tema no Blog do Pancho :
"Ninguém quer prédios ao lado de sua casa, muito menos prédios com muitos andares, mas lamento informar, isso é o futuro, ainda mais ali no Bom Retiro, pertinho do centro, o pessoal vai poder ir de bicicleta ou a pé para seus escritórios.
Por mim, tirem várias fotos das casas antigas, coloquem num museu, e liberem para os prédios. Mas não usem mais essa história de preservar o patrimônio histórico, que essa não cola mais. Sejam francos, assumam que não querem vizinhos."

Tirando a parte de ter os casarões apenas em fotos, vale lembrar que para alguns imóveis tombados, alguns esquecidos e caindo ao pedaços, a adoção deles como parte dos condomínios a serem construídos é a única solução para tê-los preservados. A mesma comunidade que não quer os edifícios pouco faz para preservar os imóveis tombados pelo Patrimônio Histórico.

Um comentário:

GIOVANI VITÓRIA disse...

Desculpe discordar. Os imóveis abandonados não são da comunidade. E que é dono não preserva. O fato é que o Bom Retiro já está no seu limite, estrangulado -- com trânsito demais para apenas duas vias centrais. Ou a intenção é detonar as áreas de preservação permanente lá existentes e cometer o maior crime ambiental da história dessa cidade?