sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Torresani entrega o Residencial Punta Carena, seu 100º edifício

A Torresani Empreendimentos Imobiliários entregou a torre 2 do Residencial Punta Carena, localizado na rua Pernambuco, 100, bairro Itoupava Seca. Possui 15 pavimentos e é o 100º edifício entregue pela construtora. A torre 1 foi entregue em dezembro de 2017.

Fotos abaixo retiradas do álbum do Facebook de entrega do empreendimento.








Parabéns à Torresani e aos proprietários dos imóveis.

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Entenda como a outorga onerosa pode aumentar a altura dos prédios em Blumenau

Mecanismo foi alterado nesta semana para estimular o crescimento dos bairros Victor Konder, Jardim Blumenau, Velha e Itoupava Seca


Alameda Rio Branco, no bairro Jardim Blumenau, é uma das áreas que deve receber mais prédios.(Foto: Patrick Rodrigues / Jornal de Santa Catarina)
A população de Blumenau aumentou em 4,7 mil pessoas ao longo do último ano, conforme estimativa divulgada pelo IBGE na última semana. Esse crescimento demográfico indica ao setor da construção civil a quantidade de unidades residenciais necessárias no município e orienta o planejamento do poder público municipal, que precisa ampliar os serviços de educação, saúde, lazer e mobilidade urbana. E o objetivo da prefeitura, neste momento, é estimular o aumento de moradores nas proximidades das ruas Humberto de Campos, no bairro Velha, e Coronel Federssen, na Itoupava Seca, além dos bairros Jardim Blumenau e Victor Konder.

Para induzir esse crescimento populacional, cinco projetos de lei complementar de autoria do Executivo municipal foram aprovados em regime de urgência urgentíssima na Câmara de Vereadores de Blumenau na última terça-feira (27/08/2019). As alterações afetam o código de edificações, o código do meio ambiente e a lei de zoneamento e uso do solo, incluindo a principal aposta da prefeitura para ocupar as áreas centrais: a outorga onerosa.

O mecanismo existe no município desde 1997 e permite que as construtoras ou incorporadoras possam construir acima do limite liberado em algumas zonas residenciais, geralmente em 50% ou 100%, desde que paguem determinado valor ao poder público como contrapartida. Esse dinheiro é depositado no Fundo Municipal Desenvolvimento Urbano e deve obrigatoriamente ser usado em obras de infraestrutura na cidade.

Para Ivo Bachmann, secretário de Planejamento Urbano de Blumenau, a outorga onerosa é importante porque permite que o município possa ampliar os serviços de infraestrutura em áreas com crescimento populacional. Como há valorização dos terrenos após obras feitas pela prefeitura, como a duplicação e prolongamento da Rua Humberto de Campos, ele também considera que é justo que parte desse investimento retorne ao município.

Praças foram revitalizadas com recurso de outorga
O secretário cita que várias praças foram construídas ou revitalizadas com o dinheiro da outorga onerosa ou mecanismos semelhantes. Um caso recente é a Praça Bertha Repsold, localizada em frente ao Mausoléu Doutor Blumenau, no Centro. Bachmann destaca que o mesmo poderia ser feito, por exemplo, para criar uma praça no bairro Victor Konder ou uma rota de caminhada ao longo do Ribeirão da Velha.
— Com o dinheiro da outorga, temos a possibilidade de atuar nas áreas de crescimento do município para melhorar a infraestrutura e a mobilidade. Esse recurso pode ser usado para alargar vias, criar um novo acesso ou construir espaços de lazer, então é um dinheiro que volta para os moradores daquele local — ressalta Bachmann.

Um decreto de lei deve ser criado nos próximos dias para regulamentar a cobrança da outorga onerosa com base na tabela do Custo Unitário Básico de Construção (CUB/m²), modelo seguido por outros municípios que utilizam o mecanismo. Atualmente, todos os casos passam por uma comissão que avalia o terreno e determina o valor que deve ser pago.
Bachmann afirma que a prefeitura está estudando um modelo que seja interessante também para a construção civil e possa ser aplicado à realidade de Blumenau. O plano é que, com o decreto, o valor da outorga seja um percentual do CUB, atualmente avaliado em R$ 1.904,59 por m², e varie de acordo com as diferentes regiões da cidade.

O exemplo de Joinville
- A outorga onerosa entrou em vigor há quatro meses em Joinville e tem sido avaliada de forma positiva pela prefeitura. Três projetos foram protocolados usando esse mecanismo com expectativa de arrecadação de R$ 10 milhões pelo poder público. Para 2020, a previsão é arrecadar de R$ 40 milhões a R$ 50 milhões.
- Em Joinville, a outorga onerosa permite a construção de até 100% acima do permitido pela Lei de Ordenamento Territorial, com limite de 30 andares. O pagamento por cada metro quadrado adicional é de 12% do valor previsto no CUB e pode ser parcelado em até 18 parcelas. Os recursos arrecadados serão destinados ao Fundo de Promoção do Desenvolvimento Sustentável.
- Nossa densidade não permite que a prefeitura possa atender toda infraestrutura básica para gerar qualidade de vida. Falta saneamento básico, tem buraco na rua e o transporte público não é tão eficiente. Então a única forma que eu tenho de tornar Joinville uma cidade sustentável é fazer com que a concentração de habitantes por hectare quadruplique - afirma o secretário de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Danilo Conti.

Fonte : NSC Total - Reportagem Gabriel Lima

Blumenau cria ações para atrair moradores para os bairros próximos do Centro
Ações da Secretaria de Planejamento Urbano buscam aumentar a densidade demográfica no Victor Konder, Jardim Blumenau, Velha e Itoupava Seca


Região da Rua Humberto de Campos está entre os locais que devem receber mais prédios.
(Foto: Patrick Rodrigues / BD)
Nos bairros Victor Konder e Jardim Blumenau, será possível construir até o dobro da área permitida se houver pagamento ao poder público. O presidente do Sindicato da Indústria da Construção (Sinduscon) de Blumenau, Marcos Bellicanta, afirma que a mudança é importante porque nenhum empreendimento foi construído no bairro Victor Konder sob o atual Plano Diretor, já que os apartamentos ficariam caros demais para a demanda do município.
— Acho que a outorga onerosa vai funcionar na região central, onde não havia essa possibilidade e os terrenos eram muito caros, porque os empreendimentos têm preço mais elevado. Mas nas demais regiões, só o tempo dirá. Temos a preocupação de não onerar a construção civil e o consumidor. Até porque Blumenau não é Balneário Camboriú, então não conseguiremos vender empreendimentos com valor acima de R$ 1 milhão — pondera Bellicanta.

A Rua Coronel Feddersen foi uma escolha da prefeitura para tentar criar de forma sustentável uma área residencial próxima ao distrito de tecnologia, que está sendo desenvolvido no bairro Itoupava Seca. Apesar da proximidade com o  Centro, o local ainda é formado por casas e pequenos prédios, então pode ser mais explorado pela construção civil com a possibilidade de dobrar a área construída pagando a outorga onerosa.
Já a Rua Humberto de Campos, na Velha, foi dividida em dois zoneamentos. O primeiro entre as ruas Marechal Deodoro e Imperatriz Leopoldina, região com mais infraestrutura, onde há possibilidade de dobrar a área de construção e criar prédios mais altos nas ruas transversais. A segunda, após a Imperatriz Leopoldina até o fim do prolongamento, onde é possível aumentar a área dos prédios em 50% acima do que é liberado atualmente.

Fonte : NSC Total - Reportagem Gabriel Lima

Especialista alerta para risco de aumentar número de moradores no Centro de Blumenau
Município admite que planeja adensar a região central para que o custo de serviços como energia elétrica, água e saneamento básico seja dividido por mais pessoas



O secretário Ivo Bachmann admite que o adensamento da região central, com aumento de moradores nos bairros Victor Konder e Jardim Blumenau, é uma estratégia da prefeitura de Blumenau, inclusive prevista no Plano Diretor aprovado em 2018. A justificativa é que o custo de serviços como educação, saúde, energia elétrica, água, saneamento básico e infraestrutura urbana poderá ser dividido por um número maior de pessoas.


O diretor de Planejamento Urbano de Blumenau, Roger Schreiber, afirma que o bairro Victor Konder tem poucos lotes vazios, de forma que a solução é aumentar o tamanho dos prédios. Apesar de o bairro ter a maior concentração demográfica do município, ele ressalta que o índice ainda é baixo e há possibilidade de crescimento na parte mais próxima do Centro, onde as construções ainda são baixas.

Para Carla Cíntia Back, coordenadora e professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Furb, é necessário planejar o adensamento do perímetro urbano com equilíbrio. A mestre em engenharia ambiental afirma que é positivo ter mais pessoas morando próximas da região central, além da possibilidade de não usar o transporte coletivo. Porém, ressalta que há um limite denominado "capacidade de suporte" para cada área.

Ela afirma que as cidades com grande área em que as pessoas moram dispersas tornam-se inviáveis economicamente, já que o município fica sem condições de oferecer a infraestrutura básica prevista na Constituição. Além disso, destaca que quando a lei de zoneamento permite apenas a construção de prédios baixos, há o risco do crescimento da cidade ocorrer sobre as áreas de preservação ambiental.
— É bom pela questão de você dar o acesso a mais gente morar perto de tudo. Na Rua XV de Novembro, por exemplo, foi feita uma pesquisa que indicou que há bastante área construtiva de comércios, mas que residencial há pouco. É um exemplo onde poderia ter mais residências, com movimento durante o dia e moradores durante a noite — explica Carla.


Entretanto, a especialista afirma que antes desse processo seria necessário uma mudança cultural, principalmente com relação ao uso de carro, para não agravar ainda mais o problema de mobilidade urbana do Centro. Serviços como abastecimento de água e recolhimento de lixo também podem estar próximos da capacidade máxima no município.

Fonte : NSC Total - Reportagem Gabriel Lima

Blumenau 169 anos

Parabéns à loira Blumenau pelos 169 anos de fundação. Cada vez mais vertical, seus empreendimentos tornam-se mais altos com design aprimorado.

Algumas postagens de empresas de construção/imóveis da região :












sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Residencial Topázio - Escola Agrícola

A Construtora Marini lança em Blumenau na rua José Deeke, bairro Escola Agrícola, o Residencial Topázio em torre com 10 pavimentos e apartamentos de 2 dormitórios com e sem suíte.






Prédio com apenas 54 aptos, 4 tipos de planta: sendo COM suíte ou SEM Suite, 02 elevadores, salão de festas, playground, bicicletário, sala de jogos, brinquedoteca, pet place.




Apartamento amplo e confortável com 02 dormitórios, com banheiro social e lavabo, sacada com churrasqueira, cozinha, sala de estar,(cozinha e sala com acesso a churrasqueira) banheiro social, com ótimo padrão de acabamento, preparo para split nos dormitórios (com opção de ponto adicional na sala) , portas brancas e paredes cal finadas.












Todas as imagens aqui mostradas foram retiradas do site da Portal Imóveis e Avalie Imóveis e são ilustrativas.

Planolar entrega Work Town Corporate

A Construtora Planolar entregou no início de agosto de 2019 o edifício comercial Work Town Corporate, localizado na rua Theodoro Holtrup, 982, bairro Vila Nova.


O prédio será totalmente ocupado pela HBSIS Ambev, empresa encarregada de toda a infraestrutura de TI global do Grupo Ambev.
“O Work Town Corporate foi totalmente projetado para abrigar empresas de tecnologia, com infraestrutura moderna, ambientes amplos e modulados, com piso rebaixado”, diz Flávio Honorato, diretor da Planolar.
“Para a Planolar, a opção da HBSIS Ambev em ocupar todo o edifício é motivo de orgulho e satisfação. A decisão atesta a qualidade do projeto, elaborado dentro dos mais avançados conceitos de espaço, mobilidade, acessibilidade, circulação, aproveitamento de espaços, lazer e convivência”.
A HBSIS Ambev conta hoje com 600 funcionários. Nos próximos dois anos deverá dobrar esse número, chegando a 1.200.


Principais diferenciais do Work Town Corporate:
  • Área total construída: 13.692,58m², distribuídos em 13 andares.
  • Gerador de 1.000Kva para atender 100% do edifício(área comum + área privativa), primeiro empreendimento atendendo 100% do edifício.
  • 3 elevadores de alta velocidade com capacidade total para 60 pessoas.
  • 176 vagas de garagens privativas.
  • 88 vagas para bikes/motocicletas.
  • Todas máquinas de ar condicionados ficam na cobertura do prédio, aproveitando melhor a área privativa de cada sala.
  • Utilização de laje protendida, conseguindo assim grandes vãos livres.
  • Todas as salas com piso rebaixado, facilitando assim, a flexibilização de layouts.
  • Área de Contemplação externa com Espaço Zen Auditório para cursos, palestras e treinamentos.
  • Sala de fitness laboral
  • Sala de jogos.
  • Espaço gourmet
  • Terraços descobertos
 Fonte : Noticenter

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Edifício Suécia - Velha

A Speranzini Engenharia lança em Blumenau na rua Jaraguá, 93, bairro Velha, o Edifício Suécia em torre com 17 pavimentos e apartamentos com 3 suítes, sendo 2 apartamentos por andar.


O Edifício
• 17 Pavimentos sendo 02 pavimentos de garagem;
• 30 Apartamentos;
• 02 Elevadores;
• Portão e porteiro eletrônico;
• Sensor de presença no hall de entrada e garagens;
• Acesso para portadores de necessidades especiais;
• Playground;
• Gás central;
• Hidrômetros individuais;
• Aproveitamento de água pluvial*;
• Área de lazer com piscina;

• Salão de festas. 





Os Apartamentos
• 02 Apartamentos por andar;
• 3 Suítes + Lavabo;
• Aquecimento de água à gás;
• Sacada com churrasqueira e ponto de água;
• Sala de estar/jantar;
• Porcelanato*;
• Janelas com persianas de enrolar;
• Portas brancas;
• Pintura acrílica fosca;
• Hidrômetros individuais.

• Infraestrutura para instalação de ar condicionado tipo split. 

Sugestão de decoração do Living


Localização :


Todas as imagens aqui mostradas foram retiradas do site da construtora e são ilustrativas. Consulte o memorial descritivo para saber o que compõe o imóvel entregue.
Maiores informações junto à Imobiliária Habitação no telefone (47) 3322-8921

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Empire Residence - Vila Nova

A Cetor Empreendimentos lança em Blumenau na rua Arthur Koehler, 236, bairro Vila Nova, o Empire Residence em torre com 27 pavimentos com apartamentos de 3 suítes. Terá 100 metros de altura até o topo da antena, sendo o terceiro mais alto de Blumenau.

Veja o hotsite do empreendimento em www.cetor.com.br/empire








Características :
- 1 apartamento por andar a partir do 18º pavimento
3 suítes
- Ventilação cruzada - Apto. Frente/Fundo
Aptos. de 125,65m², 149,16m² e 160,70m²
Opções de apartamentos com terraço
38 unidades
Cetor Custom Floors: mais liberdade de escolha
Área de lazer completa

O Empire também se inspirou em locais icônicos de Nova York para projetar as áreas comuns do empreendimento.

Salão Manhattan

O Salão denomina o principal salão de festas do edifício, homenageando o bairro onde está localizado o Empire State Building.




Espaço Brooklyn

Na grande área externa, integrada com a piscina, o Empire reserva o Espaço Brooklyn, ambiente mais despojado e aberto com atrações que remetem ao estilo urbano do bairro nova iorquino. Ótimo para reunir a família e os amigos em um clima mais descontraído.





Espaço Broadway

O Espaço Broadway traz uma decoração elegante com quadros de grandes espetáculos da Broadway e uma iluminação cênica, trazendo um conceito diferenciado à sala de jogos.





Plantas :







Localização :



Mais um belíssimo empreendimento que se destacará no skyline blumenauense e eleva o padrão dos edifícios no bairro Vila Nova. Projeto arquitetônico por Ágora Arquitetura.
Todas as imagens aqui mostradas foram retiradas do site do empreendimento www.cetor.com.br/empire e são ilustrativas. Consulte o memorial descritivo para saber o que compõe o imóvel entregue.
Maiores informações junto à Alameda Imóveis em seu site ou pelo telefone (47) 3035-2002