segunda-feira, 29 de abril de 2013

Nova perspectiva para o projeto no antigo estádio do BEC

A Realiza Arquitetura, de Curitiba, divulgou em seu site uma perspectiva mais atual do projeto do Centro Comercial e Residencial Duque de Caxias, a ser construído pela Construtora LN no local do antigo estádio do BEC, na rua das Palmeiras.



O design das 2 torres residenciais foram melhoradas, e a torre comercial foi ajustada para ficar mais parecida com as residenciais, mas manteve o formato em curva, um de seus charmes.
O centro comercial, à esquerda, também recebeu melhorias.
Segundo a construtora LN, as obras devem iniciar em 2014. O projeto já teve um Estudo de Impacto de Vizinhança aprovado em fevereiro de 2011, da qual participei.
Ainda em 2011, a construtora LN associou-se ao forte grupo imobiliário PDG, e isso pode ter feito o projeto atrasar um pouco mais do que o esperado.

Um projeto mais do que necessário para tirar nosso centro histórico do limbo.

Edifício One World Trade Center será o mais alto do Ocidente

Edifício One World Trade Center, construído no lugar das antigas Torres Gêmeas, está prestes a se tornar o prédio mais alto do hemisfério ocidental. Nesta segunda-feira (29/04/2013), equipes de construção do edifício vão instalar as duas partes finais de uma torre de 125 metros no topo do prédio. Um farol de aço inoxidável pesando quase seis toneladas será a peça final. A construção terá mais de 540 metros de altura.



Fonte : Mark Lennihan/AP

domingo, 28 de abril de 2013

Cetor inaugura sua nova sede

A construtora Cetor inaugurou sua nova sede na Alameda Rio Branco, 264, esquina com rua Dr. Luiz de Freitas Melro, no também novíssimo edifício comercial Alameda Center, construído por eles.



sexta-feira, 26 de abril de 2013

Evolução do Residencial Magnus Park

A Frechal Construções e Incorporações postou em seu twitter a evolução das obras do Residencial Magnus Park, no Garcia. Bela sequência de imagens com o skyline do bairro Jardim Blumenau ao fundo.


A Segunda Guerra Mundial no Facebook

Adaptada como se estivesse no Facebook, a história da Segunda Guerra Mundial ficou bem mais interessante de ser entendida. É extensa, usa alguns palavrões e expressões atuais do Facebook, mas vale a pena ler. 

Fonte : historiablog.wordpress.com


Ponte do Badenfurt : conclusão apenas em março de 2014

Foto : Patrick Rodrigues

Com prazo de entrega previsto para março de 2014, atualmente, os trabalhos no Complexo da Ponte do Badenfurt se concentram em diversas frentes de serviço como, por exemplo, muros de contenção, cabeceiras, lajes, terraplanagem, drenagem e plantio de grama. A obra, que compreende duas pontes, uma sobre o Rio Itajaí-Açu e outra sobre o Ribeirão do Testo, além do viaduto sobre a Rua Arnold Hemmer, já está 75% pronta.
Depois de ter o ritmo de trabalho reduzido desde o início do ano por falta de recursos, hoje, 50 pessoas atuam na construção da estrutura que fará a ligação da Rua Bahia com a BR-470, e irá compor o Anel Viário Periférico da Região Oeste da cidade.
De acordo com o secretário de Obras da prefeitura, Paulo França, durante os três primeiros meses e a primeira semana de abril de 2013 não havia uma programação financeira garantida e por isso, o ritmo das obras foi lento.
– Com o fluxo financeiro do convênio entre Estado, prefeitura e as duas empresas, as obras vão seguir em um ritmo contínuo. O consórcio fez uma programação que em seis meses trabalhados concluiriam as obras. Tirando os dias de chuva e feriados, o prazo acabou ficando para março do ano que vem – destacou França.

Foto : Patrick Rodrigues
Do total de oito muros de contenção que serão necessários, quatro já estão prontos e quatro em execução, sendo três na Henrique Weise e um entre o Viaduto da Arnold Hemmer e a Ponte do Rio Itajaí, este último dentro do trecho de obra. Também estão sendo feitas as cabeceiras da Ponte sobre o Rio do Testo, as seis lajes de aproximação das pontes e do viaduto, muretas e guarda-corpos.
Paralelamente a este trabalho está sendo feita a terraplanagem, drenagem e plantio de grama, processos que estão 50% concluídos. Para a finalização da obra faltará ainda um muro de sustentação entre a Ponte Arnold Hemmer e o Rio Itajaí-Açu – na margem esquerda – pavimentação, sinalização e iluminação.
– Como agora o grande volume de serviço é a terraplanagem, estamos aproveitando o tempo com sol para adiantar o trabalho. Hoje, as pontes não são mais o ponto crítico da obra, tanto que nossos caminhões de serviço já trafegam nelas – diz o engenheiro responsável pela obra, Eduardo Schlindwein.

Foto : Artur Moser
A obra, iniciada em janeiro de 2011, tinha prazo inicial de conclusão para dezembro do ano passado. Contratempos causados pela enchente de setembro de 2011 fizeram com que o término fosse prorrogado para abril de 2013. Em janeiro deste ano, porém, a empresa diminuiu o ritmo dos trabalhos por falta de R$ 10 milhões para terminar a obra e o prazo foi novamente revisto.

Fonte : Blog Fiscal do Badenfurt

Apesar de mais um adiamento, ver que as obras desse importante complexo viário estão em andamento é muito bom. Que venha 2014 então !

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Prefeitura de Blumenau está em dia com a análise dos processos de edificação



A Prefeitura de Blumenau conseguiu zerar o número de processos de contribuintes que aguardavam a primeira análise por técnicos da Secretaria de Planejamento. A situação é inédita, graças a uma força-tarefa dos analistas, somada às mudanças implantadas no fluxo do trâmite dos processos, que reduziu o tempo de espera de 75 dias para 15 dias, no máximo.
A meta agora é reduzir o tempo de espera para a primeira análise de processos de parcelamento de solo e das consultas para construção, que já nos próximos dias devem ser aceleradas. Para tanto, foi criado e já está à disposição dos contribuintes, a modalidade "Desmembramento para a rua", onde são protocolados os processos que tratam exclusivamente do assunto, com tempo previsto de 7 dias para a primeira análise - nesse caso, sem necessidade de consulta para desmembrar. A agilização geral da análise dos processos beneficia a comunidade num todo, principalmente o próprio contribuinte e a classe de engenheiros e arquitetos.
Nas análises para construção, as consultas online hoje são suficientes para prosseguimento, quando da análise em diversos setores. Porém, se o cidadão deseja uma informação mais precisa a respeito de eventuais restrições enfrentadas na consulta (como áreas de risco, tubulações e vias projetadas), ele deve requerer uma consulta mais completa, junto à Praça do Cidadão.
No caso da construção de empreendimentos que requeiram licenciamento ambiental, como forma de agilizar, é permitida a abertura de processos paralelos na Secretaria de Planejamento - quanto à questão urbanística, e na Faema - quanto à questão ambiental.
Já no caso de consulta para estabelecimento de um empreendimento (abertura de empresa), o novo procedimento prevê prazo máximo de resposta de 24 horas. Se o empreendimento requer licenciamento ambiental e/ou alvará sanitário, por exemplo, são criados prazos para a apresentação de documentação adicional, possibilitando a emissão provisória do alvará de funcionamento.
A análise de Habite-se é paralela aos procedimentos de vistoria e alvará do Corpo de Bombeiros. As medidas atendem a proposta da administração municipal, que é acelerar a máquina da prefeitura, para que os empreendimentos possam acontecer de forma mais rápida.

Fonte : Prefeitura de Blumenau

Vereadores discutem fim do bate-estacas nas obras

Construtora Nova Trento utiliza fundação em hélice contínua na obra do Residencial Dr. Hermann Blumenau, no bairro Victor Konder
A dor de cabeça gerada por uma bate-estacas na construção civil pode estar perto do fim em Blumenau. A Câmara Municipal discute um projeto de lei complementar do vereador Célio Dias (PR) que proíbe o uso do equipamento na execução das fundações de qualquer obra. Mais que isso. Determina que a única tecnologia permitida para o serviço será a perfuração por hélice contínua, tecnologia que aos poucos vem sendo adotada na construção civil.

A ideia é acabar com o incômodo barulho e com os problemas que, segundo Dias, podem ocorrer na estrutura de imóveis vizinhos.
Se aprovada, a lei deve transferir a dor de cabeça do cidadão para o mercado. Engenheiros consultados pelo blog dizem que o equipamento de hélice contínua custa cinco vezes mais que o bate-estacas, o que encarece o custo da obra. O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon), Amauri Buzzi, questiona a proposta. Quer saber se o vereador tem aval técnico para determinar quais equipamentos a construção civil pode ou não usar.

Fonte : Blog do Francisco Fresard


Neste quesito algumas construtoras de Blumenau tem mostrado respeito à vizinhança, contratando hélice contínua sem ter lei regulamentadora alguma. Gosto de citar as empresas Nova Trento, Cetor e Speranzini que tem se esforçado em usar deste método em obras que estão ao lado de residências ou outros edifícios.
Acho pertinente uma regulamentação sobre isto. Por exemplo, mais de 5 edifícações (casas ou prédios) a menos de 80 metros do local da obra exigiria a hélice contínua.
Com isso tira-se o absurdo de contratar esse método num local mais ermo, onde o incômodo não justifica o alto investimento.

sábado, 20 de abril de 2013

Frechal termina a maquete do Residencial Piaget

A Frechal Construções e Incorporações divulgou em seu twitter que ficou pronta a maquete do seu novo empreendimento no bairro Itoupava Seca, o Residencial Piaget. Ele será comercializado após a incorporação. A maquete ficará em exposição na sua Central de Vendas, na rua Engenheiro Paul Werner, próximo a Cremer.



O empreendimento terá 2 torres de 15 andares com apartamentos de 2 dormitórios, e será construído na rua Iguape, atrás do campus I da Furb. Destaque para a grande base sob a qual os prédios serão construídos. 

Bairro Bom Retiro : Área para crescer ou preservar?

Prefeitura decide rever Plano Diretor do Bom Retiro, região visada por construtoras para obras residenciais com mais de 14 andares


Cercado de casas do início do Século 20, o Bairro Bom Retiro, especialmente a Rua Hermann Hering, enfrenta um dilema: como abrir espaço para o crescimento sem enfrentar consequências como a superpopulação, o aumento do trânsito, a descaracterização do patrimônio histórico e da paisagem? Com a revisão do Plano Diretor de Blumenau, em 2010, a região, que até então era considerada Zona de Localização Especial e só podia receber prédios de até quatro pavimentos, foi considerada Zona Comercial, que não tem limite de altura para edifícios. No entanto, a Secretaria de Planejamento Urbano já afirmou que vai limitar os andares de novas construções, a partir da revisão do Plano Diretor daquela área.
Os projetos para a construção de dois grandes prédios ocupando o mesmo terreno de residências tombadas – um de 14 andares na Rua Hermann Hering e outro de 17, na Rua Gertrud Gross Hering – e outros dois possíveis empreendimentos de grande porte despertaram a atenção dos moradores do bairro, preocupados com uma possível sobrecarga de população na região, e também do poder público.
O assunto foi tema da reunião entre as construtoras integrantes do Sindicato da Indústria da Construção de Blumenau (Sinduscon) e a equipe da Secretaria de Planejamento Urbano (Seplan) da prefeitura, na terça-feira. Segundo o secretário municipal Alexandre Gevaerd, é preciso redefinir o número de andares para aquele local, que deixaria de ser Zona Comercial:
– Vamos estudar a limitação e o afastamento entre as novas construções e as casas tombadas, desde a Rua Rodolfo Ferraz, próximo ao Hospital Santa Isabel, até a Hering. Aos empreendimentos já aprovados, a prefeitura não vai se opor. Até porque estão na legalidade.
Uma nova reunião ficou marcada para o próximo mês. Antes disso, o assunto também deve passar pelo Conselho de Patrimônio Histórico da cidade.
Presidente do Sinduscon, Amauri Alberto Buzzi censura as mudanças frequentes no plano e critica o modo como ocorreu a revisão do Plano Diretor, alegando que as propostas apresentadas pela entidade não foram consideradas pelo poder público na época.
– Se tivéssemos a cultura da preservação, o Bom Retiro não teria tantas construções. A liberação de um grande projeto no antigo campo do BEC, lugar onde também tem casas históricas, é um exemplo de que o município não obedece às próprias normas.
Para o presidente da Associação de Moradores do Bom Retiro, Roberto Ulrich, grandes prédios podem descaracterizar a região, que tem mais de 20 casas tombadas pelo patrimônio. Além disso, a preocupação é com o aumento no fluxo de trânsito.
Nosso protesto é contra a revisão do Plano Diretor que ocorreu em 2010, e não contra as construtoras. O erro está na aprovação dele.

Área exige cautela, diz arquiteto
Professor do curso de Arquitetura e Urbanismo da Furb, Vilmar Vidor considera que o problema das grandes construções em bairros como Bom Retiro e Ponta Aguda, com pouca possibilidade de expansão, está na aprovação do Plano Diretor.
– É bom não esquecer que houve vários desmoronamentos em 2008 e que o sistema de drenagem na área é muito frágil. Quanto maior o volume construído, o número de pessoas, veículos etc, mais violentos e desastrosos os efeitos ambientais.

Fonte
Reportagem : Tatiana Santos
Foto : Artur Moser



O desafio da Harmonia Estética
Harmonizar a construção de projetos modernos às residências tombadas ao longo da Rua Hermann Hering, principal via do Bairro Bom Retiro, é um desafio a ser superado, apontam especialistas e envolvidos com a questão. Sueli Petry, diretora do Departamento Histórico-Museológico da Fundação Cultural, comenta que o lugar mantém vivo um momento da história de Blumenau, dos anos entre 1930 e 1940.
– O vale do Bom Retiro ainda tem harmonia arquitetônica. Se deixar levantar grandes edifícios, perderemos este referencial. Evidente que o progresso exige medidas que vão conflitar com o antigo, mas tem que se pensar como fazer para harmonizar.
Presidente da Associação Catarinense de Preservação da Natureza (Acaprena), Leocarlos Sieves pondera dois pontos: de um lado, novas construções podem causar impacto à natureza do local, de grande área verde preservada. De outro, a intervenção das construtoras nos terrenos de imóveis tombados garantiria a manutenção das casas.
Sérgio Waldrich é proprietário de quatro residências no local, três delas tombadas, incluindo a que pertencia a Ingo Hering, negociada com a Incorporadora Melchior Barbieri. Ele lamenta o estado de alguns imóveis, que não recebem qualquer obra de conservação. Favorável ao compartilhamento do moderno com o antigo, Waldrich cita como exemplo a Casa do Comércio, que recebeu uma construção contemporânea ao lado do prédio de 1923.
– A despesa de manutenção é alta e nem todos os donos têm condições de mantê-las. Já as construtoras com projetos para o bairro dispõem de recursos para deixá-las belíssimas por longos anos – avalia.
Já para o arquiteto Rael Belli, no caso específico da Hermann Hering, a combinação de edificações modernas com as antigas pode descaracterizar a beleza do lugar:
– É o momento de intervir e alterar novamente o Plano Diretor para não perdermos a paisagem que o bairro proporciona. Em outras situações, até é possível unir moderno e antigo, mas não acho que seja este o caso.
Fonte

PLANO DIRETOR
- O Plano Diretor é uma lei municipal que estabelece diretrizes para a ocupação da cidade. É um conjunto de regras básicas que determinam o que pode e o que não pode ser feito em cada parte de cidade. Ele é discutido com a população, aprovado pela Câmara de Vereadores e sancionado pelo prefeito.
- O primeiro Plano Diretor de Blumenau foi criado em 1977 e, desde então, outras três revisões já foram feitas: 1989, 1996, 2006 e 2010.
- Em 2009, na primeira audiência para a revisão do plano para a região que compreende o Bom Retiro, compareceram 38 pessoas da comunidade. Na segunda, dos 137 presentes, apenas 17 representavam a comunidade.

Há quatro projetos de novos prédios cadastrados para a área
O Bairro Bom Retiro, atualmente, tem quatro projetos cadastrados na prefeitura para a construção de edifícios na região da Rua Hermann Hering. Dois deles já foram aprovados: Ingo Hering Residenz, com 14 andares, da Incorporadora Melchior Barbieri, e Pablo Neruda, com 17 andares, da Construtora Raymundi. Ambos planejam revitalizar e incorporar as respectivas casas tombadas aos condomínios.
A obra do Ingo Hering Residenz havia sido suspensa pela Justiça em outubro passado, a pedido do Ministério Público, que alegava que a visão da casa seria prejudicada pelo projeto. Na quinta-feira, a obra foi liberada pela Justiça, que pediu um recuo maior entre o prédio e o imóvel tombado.
O terceiro empreendimento, com previsão de duas torres de 18 andares cada, da Torresani Empreendimentos Imobiliários, e o quarto, de 19 andares, da Raymundi, ainda estão em tramitação.
Apesar da altura destoar dos demais imóveis, os empresários que têm os projetos aprovados lembram que não há irregularidade, já que a lei permite a construção.
– A Secretaria de Planejamento deveria fazer um estudo mais aprofundado da região. O lugar é especial, mas se não fosse permitido, não investiria naquela região – diz Luciano Raymundi, proprietário da Construtora Raymundi.
Para o sócio proprietário da Incorporadora Melchior Barbieri, Clóvis Barbieri, o Plano Diretor é dinâmico e precisa estar atualizado com as exigências da cidade:
– Apesar disso, o que não dá para compactuar é com a insegurança jurídica, que estabelece regras numa hora e noutra muda completamente. A maturação de um projeto é lento, e não pode ser pego de surpresa com exigências fora daquelas estabelecidas inicialmente.
A reportagem entrou em contato com a Torresani Empreendimentos Imobiliários, mas não teve retorno até o fechamento desta edição.

Fonte

Nota do blogueiro : O tema é realmente controverso e divide opiniões. A minha ainda é favorável às construções, respeitando o bom senso. Torres com mais de 20 andares não encaixam no entorno e são agressivas visualmente. Outra é a questão do design das torres. Não dá para aprovar um pombal em forma de caixote com 100 apartamentos em cada um, que gere mais problemas do que benefícios. Sou a favor do limite de altura de 20 andares (aprox. 65 metros de altura) para o bairro Bom Retiro.
Quanto a questão do impacto no trânsito, são empreendimentos de alto padrão, com 1 apartamento por andar, que não geram tanto trânsito do que atualmente já existe pelo bairro. Milhares de pessoas utilizam esse caminho para desviar do trânsito do centro da cidade utilizando o morro da Companhia Hering.

Novo Conselho do Leitor do Jornal de Santa Catarina

Foi empossado o novo Conselho do Leitor do Jornal de Santa Catarina para o ano de 2013. Neste ano fui escolhido para integrar o Conselho, que tem como como principais atribuições analisar o conteúdo editorial e gráfico do jornal, sugerir reportagens, fazer observações sobre o conteúdo publicado e servir como porta-voz da comunidade junto aos jornalistas do Santa. O objetivo é aprimorar a cobertura diária a partir da análise dos conselheiros, garantindo que o jornal esteja cada vez mais sintonizado com as expectativas e necessidades dos leitores.



Fonte : Jornal de Santa Catarina

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Balneário Camboriú de cima

Foto com a vista de cima do heliponto do maior prédio residencial do Brasil, em Balneário Camboriú. Edifício Villa Serena, 46 andares. 165 metros de altura.


Fonte: twitter do investfloripa

Google Earth atualiza imagens de Blumenau e Itajaí

O serviço de imagens Google Earth atualizou as imagens de satélite de Blumenau e Itajaí nesta semana. A data das imagens agora é 09/03/2013, ou seja, bem recente mesmo. Chega a ser surpresa tal agilidade na atualização das imagens a partir de sua coleta pelo satélite.

Centro de Blumenau

Vila Germãnica

Obras da ponte do Badenfurt

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Residencial Princeton - Escola Agrícola

A Speranzini Engenharia lança em Blumenau no bairro Escola Agrícola, na rua Gottlieb Reif, 50, o Residencial Princeton. Será uma torre com 22 andares com apartamentos de 3 dormitórios com 1 suíte, sendo 2 apartamentos por andar.




O edifício
- Acabamento externo em textura;
- Hall de entrada decorado;
- 02 elevadores;
- 22 andares sendo 02 pavimentos de garagem;
- 02 apartamentos por andar;
- Portão e porteiro eletrônico;
- Salão de festas com pé direito duplo;
- Sala multiuso;
- Playground.


Salão de Festas

O apartamento
- Sacada com churrasqueira;
- Ambientes sociais integrados;
- Infraestrutura para instalação de ar-condicionado tipo split;
- Sala de estar/jantar;
- Tubulação para água quente;
- Piso em porcelanato;
- Pintura acrílica fosca;
- Hidrômetros individuais;
- Janela dos dormitórios com persiana de enrolar.



Living do apartamento
Ótimo lançamento na região central do bairro Escola Agrícola, perto de escolas, supermercados, bancos. Tem a vantagem de ter 2 apartamentos por andar em uma rua tranquila. Nessa obra a construtora muda o padrão para venezianas de enrolar. Espero que seja o padrão para todas as obras daqui para a frente. A Rua Gottlieb Reif terá 3 grandes edifícios : Montana (finalizado em 2005 com 16 andares), Oceania (em construção com 17 andares) e agora o Residencial Princeton. Consolida a região da rua José Deeke como grande atrator de lançamentos residenciais de médio/grande porte, pois ainda tem terrenos grandes disponíveis.
O bairro Escola Agrícola torna-se o quinto bairro a receber um projeto de edifício acima de 20 andares em Blumenau. Vila Nova, Velha, Victor Konder e Ponta Aguda já dispõe de projetos prontos, aprovados ou em construção com esta altura.
Todas as informações aqui mostradas foram retiradas do site da construtora, e são ilustrativas. Consulte o memorial descritivo para saber o que compõe o apartamento entregue. Maiores informações podem ser obtidas junto a Habitação Imobiliária, no telefone (47) 3322-8921.

Código de zoneamento deve passar por alterações



A Prefeitura de Blumenau estuda alterações no Código de Zoneamento do Município. A meta é reavaliar o crescimento da cidade segundo critérios urbanísticos e ambientais, definindo a forma de uso e ocupação do solo. A revisão do zoneamento começa pelo Bom Retiro, depois chega a vez do centro da cidade e do bairro Ponta Aguda. Por fim, o município como um todo. A Lei Complementar n◦ 751, de 23 de março de 2010, não estabelece restrições quanto à altura dos prédios, por exemplo, e a proposta é, em conjunto com os órgãos competentes, estabelecer um limite, de acordo com a realidade de cada região.
As mudanças começam pelo Bom Retiro, onde estão sendo construídos edifícios com cerca de 18 andares. Além desses, que receberam alvará de construção, a prefeitura já recebeu pedido para aprovação de projetos de construção de mais dois prédios, desta vez com 19 andares cada.
Os estudos para alteração do Código já foram apresentados ao Conselho de Planejamento, ao Conselho de Patrimônio Cultural Edificado e ao Sinduscon. Agora está sendo formalizada uma proposta que vai passar por audiência pública, retornará ao Coplan para deliberação e aí então será encaminhada à Câmara de Vereadores, para virar lei.
Enquanto isso, o contribuinte que necessitar de uma revisão do zoneamento deve entrar com pedido junto à Praça do Cidadão, para alterações pontuais, corrigindo eventuais distorções. O zoneamento objetiva a organização territorial do município, levando em conta as características físicas, ambientais, geomorfológicas e grau de urbanização.
Limitar a ocupação do solo tem como finalidade controlar e disciplinar o adensamento do município, além de reservar área para ventilação, insolação das edificações e permeabilidade do solo, garantindo qualidade de vida para a população.

Fonte : Prefeitura de Blumenau

Parece que a coisa desandou na Prefeitura no que diz respeito ao zoneamento e utilização do solo. Depois da tragédia de 2008 a altura foi liberada em muitos pontos para melhor aproveitar as áreas boas para construção. Orgulhos pessoais de moradores antigos de alguns bairros, que não querem vizinhos, estão aos poucos mudando o Plano Diretor, que foi ajustado em 2010 para incentivar construções nos terrenos considerados "seguros".
A consequência direta dessas alterações será o aumento no valor dos imóveis (terrenos e apartamentos) na cidade. Com isso, muitos não terão acesso a imóveis em áreas boas, e aumentará a invasão e construção em áreas consideradas de risco.
2008 foi ontem ! Como a memória do pessoal é curta !

Achei válido o comentário do André Silva na postagem sobre esse tema no Blog do Pancho :
"Ninguém quer prédios ao lado de sua casa, muito menos prédios com muitos andares, mas lamento informar, isso é o futuro, ainda mais ali no Bom Retiro, pertinho do centro, o pessoal vai poder ir de bicicleta ou a pé para seus escritórios.
Por mim, tirem várias fotos das casas antigas, coloquem num museu, e liberem para os prédios. Mas não usem mais essa história de preservar o patrimônio histórico, que essa não cola mais. Sejam francos, assumam que não querem vizinhos."

Tirando a parte de ter os casarões apenas em fotos, vale lembrar que para alguns imóveis tombados, alguns esquecidos e caindo ao pedaços, a adoção deles como parte dos condomínios a serem construídos é a única solução para tê-los preservados. A mesma comunidade que não quer os edifícios pouco faz para preservar os imóveis tombados pelo Patrimônio Histórico.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Victor Konder no outono

Bela foto de Jaime Batista da Silva mostrando o bairro Victor Konder em uma manhã no outono (15/04/2013).


Google revela especificações do Glass



Prestes a começar a distribuir os primeiros exemplares do Glass para desenvolvedores, o Google começou a liberar mais informações sobre o produto, sobre o qual paira tanta curiosidade. A empresa divulgou nesta terça-feira, 16/04/2013, as principais especificações de seus óculos inteligentes.
Segundo a empresa, a telinha do Glass equivale a uma tela de 25 polegadas a uma distância de 2,4 metros de distância. Além disso, a câmera é capaz de gerar fotos de 5 megapixels e registrar vídeos em 720p.
O Glass terá conectividade Wi-Fi e Bluetooth e contará com 12 GB de armazenamento disponíveis para uso de um total de 16 GB, somadas ao espaço no Google Drive.
O áudio do Glass é interessante, porque ele não usará os plugs tradicionais encaixados no ouvido. Em vez disso, ele terá a tecnologia "Bone Conduction Transducer", no qual o som reverbera pelos ossos do crânio, deixando os ouvidos do usuário livres.
Outra informação importante é que a bateria do Google Glass deverá durar pelo menos um dia inteiro de uso. Entretanto, alguns recursos, como os Hangouts e gravação de vídeo deverão consumir um pouco mais de bateria. O aparelho também virá com um cabo USB e carregador.
A compatibilidade do Glass também foi especificada. Segundo o Google, qualquer aparelho com Bluetooth é compatível com seus óculos, mas para utilizarem o aplicativo MyGlass, os smartphones precisarão ter o Android 4.0.3 ou superior.

Fonte : Olhar Digital

Com a Apple marcando bobeira após o falecimento do Steve Jobs, o Google pode lançar o produto mais revolucionário desde os tablets. Este Google Glass vai mudar a cara da humanidade e a forma como se relaciona com os dispositivos digitais. Uma verdadeira revolução está começando e estamos testemunhando isto. Se vai ser prático é outra história.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Nova ferramenta do Google controla os seus dados após a sua morte



“Pouca gente gosta de pensar sobre a morte – especialmente a própria. Mas planejar o que acontecerá depois que você se for é muito importante.” O Google escolheu essa frase lúgubre para apresentar sua nova ferramenta: o Inactive Account Manager, um gerenciador que permite decidir qual será o destino dos seus dados quando você morrer.
Primeiro você determina um período de inatividade da sua conta, que vai de 3 a 12 meses, após o qual o Google assumirá que você está morto. Depois, diz o que ele deverá fazer – quais parentes e amigos serão avisados, e quais dos seus dados eles poderão acessar (seus e-mails do Gmail, conta do Google+ etc). Também dá para programar uma resposta automática -tipo ei! eu morri. não precisa mais me mandar e-mail, ok?-, ou pedir que o Google delete sua conta.
“Nós esperamos que essa ferramenta ajude você a planejar o seu além-da-vida digital, e facilite a vida dos seus entes queridos depois que você se for”. Ok então, Google. Obrigado !

Fonte : Revista Superinteressante

terça-feira, 9 de abril de 2013

Conheça os projetos do prolongamento da Via Expressa e do Contorno Viário de Gaspar

Assista abaixo aos vídeos produzidos pelo governo do Estado de Santa Catarina sobre os projeto de prolongamento da Via Expressa (SC-108) e do Contorno Viário de Gaspar. Não traz muitos detalhes, mas é possível ter uma ideia do que deve ser feito.
Vale lembrar que os projetos devem concluídos até agosto. A licitação para execução da obra deve sair durante o segundo semestre deste ano.

Fonte : Blog do Pancho 


segunda-feira, 8 de abril de 2013

O planejamento em discussão

Projeto que restringe o poder do Coplan na definição do desenvolvimento urbano leva Blumenau a debater sobre quem deve decidir questões referentes a edificações, circulação e zoneamento da cidade



Favorável. O corte desta palavra de três artigos de diferentes leis complementares ao Plano Diretor de Blumenau restringiu o poder de decisão do Conselho Municipal de Planejamento Urbano (Coplan) em relação a alterações nos códigos de Edificações, de Circulação e de Zoneamento. A mudança, aprovada na sessão de quinta-feira da Câmara, permite, por exemplo, que vereadores aprovem propostas que aumentem a altura máxima para construção em determinado bairro da cidade independente do parecer do Coplan. No modelo atual, propostas de alterações só podem ser votadas pela Câmara caso o parecer do conselho seja favorável. O projeto ainda precisa ser assinado pelo prefeito Napoleão Bernardes (PSDB).
Formado por representantes da prefeitura, do setor privado e da sociedade civil, o Coplan cumpre o que determina a Lei Federal 10.257/2001, conhecida como Estatuto da Cidade. No Artigo 2º, a lei prevê a gestão democrática do desenvolvimento urbano, através de associações representativas e da participação popular.
Mestre em Engenharia Ambiental, Cintia Back, vê o estatuto como um avanço e discorda que as decisões se concentrem em apenas um órgão. Professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Furb, ela aprova a existência do Coplan. No entanto, salienta que é preciso evoluir, agrupando sugestões de mudanças na configuração urbanística, e levá-las à consulta pública.
O Estatuto da Cidade define que qualquer alteração de Plano Diretor tem que ser feita através de consulta pública com audiências. Não sou favorável a pequenas alterações feitas continuamente, pois, analisando uma questão por vez, não se consegue ver a cidade como um todo.
Doutor em Planejamento Urbano, Luiz Alberto Souza acredita que é importante manter a premissa do parecer favorável do Coplan. Porém, ele aponta a necessidade de uma revisão.
A prefeitura precisa propor uma nova forma para o conselho, com mais representatividade, mais democrático, e que seus membros não sejam indicados, mas eleitos – argumenta.

Participação dos cidadãos no debate é tendência mundial, diz professor
Estudioso da área de Desenvolvimento Integrado, o professor do Centro de Ciências da Terra e do Mar da Univali, Marcus Polette, ressalta que a participação do cidadão nas decisões sobre a expansão das cidades é uma tendência mundial:
É um retrocesso diminuir a participação dos moradores. É preciso repensar o planejamento nas cidades com mais de 150 mil habitantes – contesta.
Autores do projeto aprovado na Câmara, Robinsom Soares (PSD) e Célio Dias (PR) dizem que o objetivo é devolver o direito de legislar sobre o tema aos vereadores. Soares argumenta que a mudança faz com que a consulta ao Coplan se mantenha obrigatória, apenas deixando de ser necessário o parecer favorável.

Fonte : Jornal de Santa Catarina
Reportagem : Sarita Gianesini


ENTENDA A MUDANÇA
Com a alteração, proposta de mudança pode ser votada mesmo sem parecer favorável do Coplan :

Como funciona hoje
- Projetos de lei alterando o zoneamento urbano podem ser propostos pelo Executivo, Legislativo ou por iniciativa popular
- No caso de alterações no Plano Diretor, são encaminhados ao setor de Planejamento Urbano
- Depois, seguem para avaliação do Conselho de Planejamento Urbano (Coplan)
- Coplan analisa o projeto e envia parecer à Câmara de Vereadores
- Se o parecer for favorável, a Câmara vota o projeto. Pode aprovar, rejeitar ou fazer emendas (caso modifiquem a intenção do projeto, é necessária nova análise do Coplan)
- Se o parecer do Coplan for desfavorável, a proposta é arquivada pela Comissão de Constituição, Legislação e Justiça

Como ficará
- O projeto de lei pode ser proposto pelo Executivo, Legislativo ou por iniciativa popular
- No caso de alterações no Plano Diretor, são encaminhadas ao setor de Planejamento Urbano
- Depois, seguem para avaliação do Coplan
- Cabe ao Coplan analisar o projeto e encaminhar parecer para a Câmara de Vereadores
- Favorável ou não, a Câmara de Vereadores deve votar o projeto: aprovar, rejeitar ou fazer emendas (caso modifiquem a intenção do projeto, precisam de nova análise do Coplan)

Legalidade é questionada
Outra polêmica levantada diz respeito à legalidade do projeto aprovado pela Câmara. O representante da União Blumenauense de Associações de Moradores (Uniblam), Arlon Tonolli, diz que deveria ser realizada uma audiência pública para avaliar a medida.

– O Estatuto da Cidade, baseado nos artigos 182 e 183 da Constituição, diz que a gestão democrática do plano diretor não é facultativa, é uma imposição – alega.
O procurador-geral da Câmara, Lucínio Nones, garante que não há inconstitucionalidade ou necessidade de audiência pública para debater a iniciativa dos vereadores. Isso porque, afirma, os projetos alteram apenas a forma de legislar.
– A matéria aprovada pelos vereadores mantém a necessidade de estudos, parecer do conselho e audiência pública para assuntos relacionados ao Plano Diretor. Não cabe ao Coplan fazer normas, cabe a ele orientar – alega Nones.
Procurador-Geral do Município, Newton Janke afirma que não é possível fazer uma análise prévia do projeto. Apenas quando chegar à prefeitura poderá ter a legalidade avaliada. Mas ele concorda que as alterações regulam processos legislativos e não têm relação com zoneamento ou edificações.

Fonte : Jornal de Santa Catarina

Um absurdo as alterações nas leis que a Câmara de Vereadores tenta sancionar referente ao Zoneamento Urbano de Blumenau, retirando do Coplan as decisões sobre o tema, que têm de ser técnicas, como mencionado pela coluna Mercado Aberto (Santa, 5 de abril). Espero que o prefeito Napoleão Bernardes vete essas alterações. Afinal, entre suas promessas estava a de manter técnicos nas diversas secretarias.
Foi acertada a opinião da coluna Mercado Aberto do dia 5 de abril com a seguinte conclusão : "Determinar o que pode ser construído nas diferentes áreas da cidade é atribuição de técnicos. Políticos podem decidir com base nas vantagens que terão, por exemplo, nas próximas eleições."
Arrisco dizer que todos os avanços que o Plano Diretor teve pós tragédia de 2008 vão ser jogadas fora.


sexta-feira, 5 de abril de 2013

Novo empreendimento no Victor Konder

Foto : Jandyr Nascimento
Uma loja de móveis da Sierra e uma espécie de centro de valorização à qualidade de vida, com atividades relacionadas ao bem-estar das pessoas, vão ocupar o imóvel que começa a ser construído em terreno da Rua Heinrich Hosang, atrás do Corpo de Bombeiros. A edificação de 2 mil metros quadrados de área construída terá dois pisos e deve ser entregue em dezembro. Haverá amplo estacionamento e já está sendo erguida com a possibilidade de ser ampliada no futuro.

Fonte : Coluna Mercado Aberto

Finalmente o grande terreno onde era instalado o circo começa a ganhar projetos novos. Em parte do terreno será erguido o Condomínio Residencial e Comercial Black Panther, e na outra parte do terreno este novo empreendimento. Dará cara nova à rua Heinrich Hosang.

Zoneamento no bairro Bom Retiro


A questão da possível revisão do zoneamento do Bairro Bom Retiro, em Blumenau, foi amplamente discutida na reunião de quarta-feira do Conselho Municipal de Planejamento Urbano (Coplan). Vários conselheiros concordaram que é necessário revisar os padrões de construção estabelecidos em 2010, com a revisão do Plano Diretor. Ficou acordado que a Secretaria Municipal de Planejamento vai elaborar uma proposta inicial de revisão a ser avaliada pelo conselho antes de encaminhar para audiência pública. O secretário Alexandre Gevaerd quer a participação do Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) nesse processo.
O tema veio à tona quando dois projetos de novos prédios de 18 andares foram encaminhados para avaliação do Conselho Municipal de Patrimônio Histórico Edificado. Preocupados com o impacto dessas novas obras no bairro, onde há mais de 20 imóveis tombados pelo patrimônio histórico, os conselheiros adiaram a análise dos projetos e sugeriram uma revisão do zoneamento da área.

Fonte : Coluna Mercado Aberto

Parece que um problema que afeta os moradores do bairro finalmente vai ter decisão definitiva. Os dois novos projetos provavelmente terão de se adequar. Se o limite voltar a 4 andares, talvez até desistam dos empreendimentos.
Achei válido o comentário do André Silva na postagem sobre esse tema no Blog do Pancho :
"Ninguém quer prédios ao lado de sua casa, muito menos prédios com muitos andares, mas lamento informar, isso é o futuro, ainda mais ali no Bom Retiro, pertinho do centro, o pessoal vai poder ir de bicicleta ou a pé para seus escritórios.
Por mim, tirem várias fotos das casas antigas, coloquem num museu, e liberem para os prédios. Mas não usem mais essa história de preservar o patrimônio histórico, que essa não cola mais. Sejam francos, assumam que não querem vizinhos."

Tirando a parte de ter os casarões apenas em fotos, vale lembrar que para alguns imóveis tombados, alguns esquecidos e caindo ao pedaços, a adoção deles como parte dos condomínios a serem construídos é a única solução para tê-los preservados. A mesma comunidade que não quer os edifícios pouco faz para preservar os imóveis tombados pelo Patrimônio Histórico.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Site "Jornal de Blumenau" é lançado


Foi lançado hoje o novo site de notícias da cidade, com o nome "Jornal de Blumenau". O JB tem sede à rua Petrópolis, 206, no Centro, onde funciona também o portal de notícias econômicas Noticenter, veículo que em julho próximo completa oito anos de atividades ininterruptas.

Os dois projetos são dirigidos pelo jornalista Carlos Tonet, que por muitos anos foi colunista do jornal Folha de Blumenau, sendo também autor de um blog com seu nome.
O Jornal de Blumenau surge com os seguintes diferenciais:

  • As matérias são agrupadas por regiões. Desta forma, os moradores de cadaleitor pode acompanhar as notícias relacionadas a seu bairro.
  • Prefeitura e Câmara de Vereadores têm editorias específicas, onde são publicadas na íntegra as notícias produzidas por suas assessorias. Com isso, a comunidade poderá conferir a atuação de seus representantes no Legislativo e Executivo.
  • As matérias são identificadas para que o leitor saiba quais são a pautas oficiais e quais as notícias produzidas por decisão editorial.
  • O Blog de Carlos Tonet passa a integrar o Jornal de Blumenau.
  • Entidades comunitárias terão blogs personalizados.
  • Será criada a www.tvblumenau.com.br, com matérias produzidas pela Redação do Jornal de Blumenau.
  • O mercado contará com novas opções em anúncios classificados.
  • Serão criados cadernos setoriais especializados.

Algumas das novidades serão implementadas em breve.

Fonte

É sempre bom ter um novo canal de notícias da cidade ! Adoro os textos e a análise bem humorada de Carlos Tonet no seu blog. Recomendo a todos tanto o blog como o novo site de notícias !

terça-feira, 2 de abril de 2013

Apartamento mais caro do mundo vai custar quase R$ 790 milhões em Mônaco

Fotos : divulgação

O apartamento com metro quadrado mais caro do mundo, no edifício Odéon Tower, está sendo construído no principado de Mônaco, e deve ficar pronto em julho de 2014. Mas os interessados devem preparar o bolso: estima-se que será preciso desembolsar até 256 milhões de libras (cerca de R$ 788 milhões) para morar no prédio.
No total, serão vendidos 70 apartamentos de luxo, com um a seis quartos disponíveis. O edifício terá 170 metros de altura --o segundo maior prédio da costa do Mediterrâneo. Além dos apartamentos "comuns", estarão à venda duas coberturas duplex de 1.200 metros quadrados e, no topo do edifício, uma galeria completa de 3.300 metros quadros, cinco andares, com tobogã e piscina exclusivos.
Todos os apartamentos terão terraços com vista panorâmica e janelas do teto ao chão. Limpeza doméstica e serviços de valet serão acionados pelos moradores por meio de controles touchscreen instalados nos apartamentos.
Entre os serviços do condomínio estão saunas, várias piscinas, spas exclusivos, porteiros 24 horas, limusines com motorista particular e cinema. O design do edifício, a cargo do arquiteto Alexander Giraldi, é inspirado pelo movimento da "belle époque" francesa. O interior dos apartamentos será decorado pela agência Alberto Pinto.


piscina e tobogã exclusivos das coberturas
Fonte

Perguntas que não querem calar: quanto ganha o síndico desse cortiço ? Ainda tem vagas ?  :-D

Torresani entrega Edifício Lugano


No último dia 26 de março a Torresani Empreend. Imobiliários fez a entrega do Edifício Lugano, na rua Ricardo Paul, no bairro Escola Agrícola.

Os futuro moradores receberam as chaves em um clima de confraternização e puderam conhecer as áreas comuns do prédio totalmente decoradas, como salão de festas e piscina.
O Edifício Lugano conta com um total de 55 apartamentos nas opções de plantas de 3 suítes, 3 quartos (1 suíte) e 2 quartos ( 1 suíte).
Parabéns aos proprietários.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Grupo CR7 construirá kartódromo e conjunto habitacional em Lages



A construtora CR7, de Blumenau, vai construir um novo kartódromo e um conjunto habitacional com quatro torres e 400 apartamentos em Lages. Essa é a exigência da prefeitura da cidade para ceder um terreno de 20 mil metros quadrados no bairro Universitário, onda funciona hoje a pista do Kart Club de Lages. CR7, prefeitura e Kart Clube firmaram a parceria na última semana.
Pelo termo de compromisso, a CR7 terá que construir um moderno kartódromo, próximo à fábrica da Ambev, numa área de 53 mil metros quadrados. A pista, que terá 1,1 quilômetro de extensão e oito metros de largura, poderá ser homologada para receber competições internacionais, com infraestrutura para receber mais de 100 karts por prova.
Já no terreno onde está hoje o Kart, a CR7 edificará o conjunto habitacional “Quinta das Neves”. O residencial estará localizado na rua Marechal Gama D’Eça, com área total construída de aproximadamente 35 mil metros quadrados. 
De acordo com o empresário Cristian Rocha, presidente da CR7, durante a construção dos prédios serão gerados cerca de 150 empregos diretos e outros 300 indiretos. “A partir do início dos trabalhos vamos concluir a obra em 36 meses”, garante.

Fonte: Noticenter

Futuro lançamento da Cetor em Indaial

No site da Cetor Construção e Empreendimentos Torresani aparece o futuro lançamento na cidade de Indaial, o Alta Vista Residence.


Postarei maiores informações assim que ele for lançado.

Sharon Stone marca presença em evento VIP da FG Empreendimentos, em Balneário Camboriú

O Diretor Presidente da FG Empreendimentos Jean Graciola, Sharon Stone e Francisco Graciola – Presidente do Conselho Administrativo da FG
Balneário Camboriú com ares hollywoodianos. Muitas celebridades já visitaram o famoso Balneário, mas nenhum foi recepcionado com um evento tão majestoso quanto a FG Celebrity Party, realizada no sábado, 30 de Março de 2013. A festa reuniu mais de 1000 convidados de frente para o mar, com uma vista privilegiada da bela praia mais glamourosa do sul do país. 
Tapete vermelho, luzes, fotógrafos, e muitos fãs na entrada do evento, ambiente refinado e cuidadosamente preparado para receber a cão-anfitriã do evento Sharon Stone. Além da atriz, outras celebridades prestigiaram o evento. Entre eles, o consultor de imagem Fábio Arruda, a joalheira e ex participante do Mulheres Ricas, Lydia Sayeg, o ator Ricardo Macchi, e as tradicionais socialites paulistanas Marina de Sabrit e Beth Szafir. Grandes executivos de todo o Brasil também estiveram no evento, como o empresário do ramo da informática Eloy Tuffi – proprietário da rede Microcamp.
Em sua 4ª visita à Santa Catarina, Sharon Stone não poupou elogios ao Brasil em um breve discurso feito durante o evento promovido pela FG Empreendimentos.
Estreitando laços com o litoral catarinense, Sharon mostrou que se sente em casa. Prova disso é que, nesta vez, ela trouxe sua família – e fez questão de frisar isso durante seu rápido pronunciamento. “Trouxe a minha família, meus filhos e meus melhores amigos. Este é um lugar que vou continuar vindo e vou passar meus melhores dias no futuro.” Afirmou a atriz com um sorriso no rosto. Segundo ela, os empreendimentos luxuosos da FG contribuíram para o crescimento e desenvolvimento da cidade.
A emoção tomou conta do ambiente quando Sharon dedicou algumas palavras ao fundador da FG Empreendimentos e Presidente do Conselho de Administração, Francisco Graciola. Em meio a aplausos a Sharon declarou: “Francisco é um homem bom e humilde, que começou como a maioria de nós - sem nada. Começou em uma barbearia e teve outros pequenos negócios que cresceram junto com vocês.”

Divulgação : Agência A
Fotos : Marcos Campos e Fernando Willadino

No evento foram mostradas as maquetes dos lançamentos da FG, Infinity Coast (66 andares na Barra Norte e futuro prédio mais alto do Brasil), Sky Tower (45 andares, Barra Norte) e Epic Tower (55 andares, Barra Sul).


Infinity Coast

Sky Tower à esquerda, Epic Tower à direita


Arte no campo de futebol da Apae


Me chamou a atenção o capricho e a vontade do jardineiro da Apae, aqui na Vila Nova. Difícil achar um bom jardineiro hoje em dia. No final do ano ele pacientemente desenhou um "Feliz 2013" no gramado do campo de futebol. Agora ele desenhou o logotipo da Apae, em foto abaixo.
Além de jardineiro, persistente. Virtude de um artista. Clique para ampliar.



Foto também publicada na coluna impressa do Valther Ostermann no Jornal de Santa Catarina do dia 01/04/2013, que pode ser visualizada aqui.