domingo, 20 de dezembro de 2009

Natal


quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Lady Gaga


Simplesmente impressionante o sucesso desta nova cantora pop. No início confesso que desdenhei do seu talento. "Ninguém pode fazer sucesso com um nome desses", ponderei.
Ledo engano. Além de bonita, Lady Gaga (Stefani Joanne Angelina Germanotta) tem muito talento. Compôs todas as músicas e letras do seu único álbum até agora. E é doutorada em música com especialização em piano. E ainda compôs músicas para nomes como Akon e Britney Spears.


Just Dance, Poker Face, Love Game, Paparazzi. Essas 4 músicas emplacaram no seu primeiro álbum, "The Fame". Tanto que ela relançou o álbum com 8 músicas inéditas, entre elas "Bad Romance", que já emplaca como número 1 em mais de 30 países. "The Fame Monster" já é um clássico pop.


Aposto que "Dance in the dark" será o próximo hit. É muito bom ver um artista pop eletrônico fazer sucesso aqui no Brasil, no meio de tanto lixo de "sertanojo universitário" que está surgindo.


Que ela continue assim: eletrônica, polêmica, talentosa e sensual.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Crematório

Piadinha infame esta :


Um funcionário da agência funerária está trabalhando à noite, para examinar corpos antes destes serem sepultados ou cremados.
Examina um corpo, identificado como José Chagas, que está pronto para ser cremado, e descobre que o defunto tem o maior pênis que ele já viu na vida.
- 'Desculpe, Sr. Chagas (pensa o funcionário). Mas não posso mandá-lo para o crematório com essa coisa enorme. Ela tem que ser conservada para a posteridade!'
Com um bisturi, remove o pênis do morto, guarda-o num frasco e vai para casa.
A primeira pessoa a quem ele mostra a monstruosidade é sua mulher.
- 'Tenho algo inacreditável para te mostrar, querida. Nem vais acreditar!'
Depois, abre o frasco e..... ao ver o conteúdo, a sua mulher grita, estarrecida:
- 'Oh, meu Deus!!!!! O Chagas morreu ?!?!?'

Moral da História:

JAMAIS LEVE TRABALHO PRA CASA  

Brasil


sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Em Dubai, um futuro feito de areia


11/12/2009

Em Dubai, um futuro feito de areia
Jérôme Fenoglio (Le Monde)
Dubai (Emirados Árabes)


Em Dubai, os mapas rodoviários se leem no futuro. Consultá-los muitas vezes equivale a procurar uma ponte que não existe, a querer circular sobre uma via ainda não conectada à rede, a se aventurar em um bairro que se resume a um cartaz publicitário. Esses mapas locais ilustram a peculiar relação com o tempo desenvolvida pelas empresas de construção do emirado. Nessa grande mistura de gêneros e de prazos, os canteiros se confundiam com os projetos, as maquetes com as realizações, as fotografias com as simulações saídas dos escritórios dos arquitetos. As datas de lançamento e de entrega das obras eram separadas por alguns meses somente. Tanto que mais ninguém, no local, parecia capaz de distinguir o que estava quase terminado daquilo que não havia nem mesmo começado.
É essa imprecisão, intencionalmente mantida, que complica hoje o inventário dos projetos que têm uma chance de sobreviver à crise econômica. Pois desde que esse processo foi atingido pelo estouro de seu principal motor - a especulação imobiliária, os mapas de Dubai também devem ser interpretados no passado. Segui-los equivale a se dedicar a uma espécie de arqueologia ao contrário, a discernir os vestígios de uma megalópole que não acontecerá, a encontrar as fundações de um ex-futuro centro do mundo autoproclamado, que desabou sob sua pretensão de se tornar, em quinze anos, uma mistura de Nova York, Veneza e Orlando.


As ruínas mais visíveis desses canteiros faraônicos são banhadas pelas águas do golfo Pérsico. A empresa Nakheel, agora conhecida como o fardo super-endividado de sua matriz Dubai World, havia se especializado nessas remodelagens significativas do litoral, nessas ilhas desenhadas com areia para impressionar os satélites de observação, primeiros transmissores desse grande espetáculo globalizado.


De fato, o início das obras havia posicionado Dubai como primeira capital talhada para a era Google Earth. Mas também como metrópole "anti-Copenhague", cujo desejo de visibilidade sobre o mapa se situa no ponto oposto ao imperativo ecológico de deixar o mínimo possível de vestígios sobre o planeta.


E o que restará dessas gesticulações geográficas? Das três quase-ilhas artificiais em forma de palmeiras, somente a menor, Palm Jumeirah, pode ser considerada como concluída. Ela ainda comporta duas ramificações mortas, onde nenhum alinhamento uniforme de mansões contíguas brotou. E seu semi-círculo externo, que deveria proteger o conjunto contra as marés ao mesmo tempo em que acolhe hotéis de luxo, ainda está muito modestamente ocupado pelos complexos prometidos.


Além disso, os problemas temidos por muitos geólogos já começavam a se apresentar. Por falta de correntes, as águas que banham a palmeira não são suficientemente renovadas. Acima de tudo, o afundamento da areia pelas obras teria sido superior ao que havia sido previsto. Esse nível excessivamente baixo sobre a água ironicamente faz pensar no nome do complexo turístico, Atlantis [Atlântida], situado na ponta desse continente ameaçado de inundação.A desintegração nas águas do Golfo é um risco muito mais iminente para a segunda palmeira, situada mais ao sul, perto da imensa zona portuária de Jebel Ali. Lá, a forma de inspiração vegetal está completa, mas nenhum prédio foi erguido. Sobre uma das flechas de areia que ligam o conjunto à terra firme, as pilastras de uma futura ponte vão diminuindo, como uma confissão da nítida desaceleração das obras nos últimos tempos. De qualquer forma estas deveriam se interromper em breve, uma vez que a Nakheel já não pagava há nove meses o grupo coreano Samsung, encarregado da obra, segundo operários designados para o projeto.


Bem ao norte do litoral do emirado, perto da cidade antiga de Dubai, a terceira palmeira nem atingirá esse estágio. As obras que deveriam dar forma a Palm Deira, que teria sido a maior de todas, foram suspensas há meses - na Dubai da crise imobiliária, nunca nada é cancelado, tudo é "adiado".


Até os projetos aquáticos mais delirantes, figurando em alguns mapas, como a réplica em areia do sistema solar, não foram oficialmente jogados nas lixeiras da história. Dos arquipélagos sonhados por Nakheel ao largo da cidade, hoje há somente o "The World", composto por ilhas dispostas como um planisfério terrestre. Mas mesmo ali, a realidade é bem diferente das fotomontagens divulgadas.


As ilhas estão nuas, com exceção daquela que contém a mansão modelo destinada a seduzir as grandes fortunas. A crise e as dificuldades materiais, amplamente subestimadas, não deixam que se espere para breve o início das construções. Por falta de manutenção, algumas ilhotas já começaram a ser atacadas pelas marés.


Em terra, alguns grandes projetos de desenvolvimento visavam um objetivo simétrico às extensões do litoral: trazer água para o deserto. Eles não terão um destino melhor. Assim, o "canal da Arábia", que deveria cercar em 80 quilômetros a zona do novo aeroporto internacional Jebel ali, existe somente no papel dos mapas regionais. O desmoronamento do mercado imobiliário esmagou sobretudo o projeto que deveria concluir a transformação de Dubai em "cidade global", atraindo e mantendo os turistas em vez de vê-los transitando sobre suas terras.


Sobre milhares de hectares, Dubailand deveria ser constituída de uma miríade de parques de diversões, de residências e de hotéis. Hoje, a imensa porção de deserto que lhe era destinada é povoada por alguns raros vestígios desse sonho desvanecido: o portão para um futuro estúdio da Universal, a carcaça em concreto de mais um shopping center, uma cabeça de dinossauro acima de uma cerca, os inevitáveis embriões de loteamentos.


À beira desse projeto "adiado", uma faixa de asfalto novo em folha atravessa as areias deste que seria o Tiger Woods Resort, um complexo residencial construído em torno do primeiro campo de golfe projetado por uma celebridade. A estrada leva, através das dunas, até o que se parece com um palácio, servindo de escritório de vendas. Avançamos, impressionados pela obra, contornamos... É um cenário, que esconde pré-fabricados e que acaba dando ares de "Tintim no País dos Sovietes" a essas encenações de Dubai.


O problema é que esse cenário do emirado-espetáculo foi amplamente vendido e está fora de questão fazer o reembolso. Os lotes arenosos de Waterfront, ao lado de Palm Jebel Ali, os das futuras residências de Dubailand, várias ilhotas caríssimas do "The World", e os apartamentos das inúmeras torres em construção por toda a cidade encontraram compradores, segundo um processo inalterável de venda na planta. "Na assinatura, os compradores deviam pagar somente 10% da soma total", explica Thomas Bunker, agente imobiliário canadense da empresa Better Homes. "Depois eles corriam para revender antes do segundo pagamento, embolsando o lucro. Os apartamentos virtuais poderiam mudar cinco ou seis vezes de mãos. Os especuladores inexperientes faziam empréstimos para comprar até dez deles de uma só vez: a bolha não parava de inchar". Isso levava as construtoras a lançar cada vez mais projetos novos, em vez de começar a construir o que haviam vendido com os 10% recebidos.Então o emirado se encontra hoje estufado por uma oferta imobiliária que não corresponde a nenhuma demanda, e não somente no setor de moradia. Em 2011, com as entregas em curso, metade dos escritórios deverá estar desocupada. Para salvar os móveis, as construtoras se converteram em massa às virtudes da "consolidação". "Eles procuram convencer os proprietários que não desapareceram junto com a especulação a desistir de seus apartamentos virtuais nas torres que não têm nenhuma chance de serem construídas", explica uma especialista do mercado imobiliário local. "Em troca, eles lhes propõem, em troca de abatimentos, investir em um imóvel que têm boas chances de serem concluídos. Assim, cada um minimiza suas perdas".

Ainda que ela não diminua a debandada, essa técnica tem ao menos a vantagem de desbloquear um mercado onde os proprietários não queriam mais pagar e as empreendedoras não podiam mais terminar as obras.

No arquipélago do "The World", essa consolidação tomou a forma de um reagrupamento de ilhas que aos poucos torna os continentes irreconhecíveis. Até o arranha-céu símbolo de Burj Dubai, o mais alto e o mais caro do mundo, não escapou de alguma forma de consolidação. Em 4 de janeiro, a inauguração oficial será somente de uma das torres do buquê que compõe o conjunto, onde figuram o Hotel Armani e alguns apartamentos. A empreendedora semi-pública Emaar, que nos últimos anos entrou em uma concorrência insana com a Nakheel, salvará dessa forma a honra ao mesmo tempo em que adia os sobrecustos de sua bela obra para um pouco mais tarde.

Sentado no terraço, sobre a esplanada que avança sobre a torre-recorde, Thomas Bunker, o agente imobiliário, e dois expatriados libaneses, Elsie Marin, consultor em publicidade, e Marcel Kairallah, diretor de empresa, confessam sentir um pouco de nostalgia por esses anos de construção permanente. "Víamos a cidade se construindo ao nosso redor", eles dizem. Mas eles não lamentarão os excessos, e esperam que a consolidação sirva de "filtro" eliminando as loucuras, e conservando somente os inegáveis trunfos da cidade.

Essa qualidade de infraestrutura, esse comedimento de modos, essa mistura de populações fizeram de Dubai uma ilhota em uma região de regimes autoritários e austeridades religiosas. Muito antes que o emirado se destacasse por seus efêmeros castelos de areia nas águas do Golfo.

Tradução: Lana Lim

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Outdoors

Obama, Lula, Sarkozy e outros líderes mundiais aparecem envelhecidos em outdoors que pedem justiça climática. As peças estao expostas em Copenhague, na Dinamarca, onde começa na 2a feira a Convençao do Clima (COP15). Foram instaladas proximas ao aeroporto. Mostram os líderes como se estivessem em 2020 pedindo desculpas por nao terem impedido a "castastrofe climática" quando tinham poderes para isso, ou seja, agora em 2009. A açao leva a assinatura do Greenpeace e do movimento tcktcktck.








Viaduto da Mafisa


segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Pálido ponto azul

Para refletir :

Uma foto da Terra tirada pela sonda Voyager 1, em 1990, a 6,4 bilhões de km de distância.




























"That's here. That's home. That's us. On it everyone you love, everyone you know, everyone you ever heard of, every human being who ever was, lived out their lives. The aggregate of our joy and suffering, thousands of confident religions, ideologies, and economic doctrines, every hunter and forager, every hero and coward, every creator and destroyer of civilization, every king and peasant, every young couple in love, every mother and father, hopeful child, inventor and explorer, every teacher of morals, every corrupt politician, every "superstar", every "supreme leader", every saint and sinner in the history of our species lived there - on a mote of dust suspended in a sunbeam."
Carl Sagan

“Está aqui. Este é o nosso lar. Isto somos nós. Nela todos que você ama, todos que conhece, todos que você já ouviu falar, todo ser humano que já existiu e viveu suas vidas. O agregado de nossas alegrias e tristezas, milhares de religiões, ideologias e doutrinas econômicas, cada caçador e foragido, cada herói ou covarde, cada criador e destruidor da civilização, cada rei e camponês, cada casal jovem apaixonado, cada mãe e pai, cada criança esperançosa, inventor e explorador, cada professor de moral, cada político corrupto, cada “astro”, cada “líder supremo”, cada santo e pecador na história de nossa espécie viveu aqui – em um grão de poeira suspenso num raio solar.”
Carl Sagan

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Novo Hospital da Unimed

Já está em andamento o processo de estudo de impacto de vizinhança do novo hospital geral da Unimed em Blumenau, que ficará na rua Almirante Barroso, 1159, na Vila Nova. 


A primeira parte do projeto já está em funcionamento, o pronto atendimento 24 horas, que foi inaugurado dia 23 de dezembro.


Sem dúvida é uma obra muito importante para Blumenau. A audiência pública da apresentação do projeto é dia 12 de dezembro, às 09 horas, no auditório da APAE. Após aprovado, deve ficar pronto em 24 meses. Veja as projeções : 





Observe o prédio menor (o pronto atendimento já concluído, que tem frente para a rua Almirante Barroso, próximo a entrada da rua Theodoro Holtrup) em comparação com o hospital. O estacionamento contará com 160 vagas.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

40,5 º em Blumenau

Ontem (19/11/2009) tivemos o dia mais quente em Blumenau, com temperatura registrada de 40,5º no centro da cidade. Temperatura como esta não foi registrada desde 11/12/1994, quando tivemos a temperatura de 42 º.


Pergunta infantil : o que faremos quando o aquecimento global chegar de fato ?

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Privatização do esgoto

Entrevista do colunista Carlos Tonet com o advogado Ivan Naatz para o Jornal Folha de Blumenau, edição do dia 19/11/2009. Muito interessante.

[edição 340]
Ivan, o Terrível

Exclusivo: Ivan Naatz acionou o Samae na Vara da Fazenda na última terça-feira (17). Está requisitando judicialmente documentos que a empresa não disponibiliza a respeito do processo de privatização do esgoto. É uma ação de exibição de documentos para produção de provas. Resolvi falar com ele sobre o assunto. Formulei os 10 mandamentos do Ivan sobre o tema. As notas a seguir são transcrições de declarações dele a uma entrevista concedida a mim. Senhoras e senhores, com vocês a palavra de Ivan, o Terrível: 



1) Falta transparência - “O Samae não informa as empresas que solicitaram os esclarecimentos que motivaram a suspensão da licitação. Não fornece a ata da audiência pública. Não divulga o relatório das pessoas consultadas pela internet”. 


2) Top down - “Os gestores modernos aboliram o conceito de top down, em que tudo é decidido de cima para baixo. Blumenau não pode ficar a mercê de administradores que pensam o contrário”. 


3) Privatização - “Sou a favor do estado mínimo. Em minha campanha defendi as creches sociais privadas. Sou a favor da concessão dos serviços públicos em condições que beneficiem a sociedade. No caso do esgoto de Blumenau a cidade está perdendo”. 


4) Perda de receita - “O valor do contrato é de R$ 320 milhões. O esgoto poderá custar até 80% do valor da água. O Samae faturou R$ 48 milhões em 2008 somente com a água. Isso significa que poderia ter faturado mais R$ 38 milhões com o esgoto”. 


5) Lucratividade - “O contrato dura 35 anos. Faturando R$ 38 milhões por ano, a empresa privada irá faturar os R$ 320 milhões em apenas 8,4 anos. Terá 26 anos de lucro. Uma receita que poderia ser da administração municipal. Nosso Samae é simplesmente a quinta maior empresa municipal do País no setor. Estão desprezando todo esse potencial”. 


6) Placas amarelas - “A licitação não prevê esgoto para as ruas de placa amarela. Mas elas têm água e luz, que são bens essenciais à vida. Por isso são instaladas nas casas. Esgoto é saúde. É um bem essencial à vida. É um direito constitucional.Mais de 70 mil pessoas ficarão sem tratamento de esgoto em cerca de 520 ruas”. 


7) Idoneidade - “Luiz Ayr tem um histórico processual conhecido. Duvido que conseguisse exercer um cargo de presidente numa empresa privada. Ele não reúne condições para desempenhar um papel de tamanha importância técnica e estratégica”. 


8) Sucateamento - “A falta de água constante em diversos bairros não é resultado da incompetência. É resultado de uma ação deliberada para forçar a privatização do próprio Samae. Um golpe surdo contra a cidade”. 


9) Conhecimento de causa - “Dediquei mais de seis meses a pesquisas sobre saneamento. Estou concluindo mestrado em Desenvolvimento Regional. Minha dissertação tem o título de ‘A Importância do controle social sobre os atos do agente público para o desenvolvimento da região’. Eu sei do que estou falando”. 


10) A solução - “Criar a Cia. Blumenauense de Saneamento, com aporte de recursos públicos e privados. Uma empresa de capital misto. As pessoas poderiam comprar ações. Muitas pessoas teriam lucro com a coleta de esgoto”. 


Essas são as posições do Ivan Naatz. Pode-se compreendê-las ou não, apoiá-las ou ir contra elas. Naatz diz que está iniciando uma guerra jurídica. Para a sociedade, tal embate é bom para que possamos ter acesso ao maior número de informações possíveis. Meu caro Naatz, peço desculpas por chamá-lo de Ivan, o Terrível. Sim, eu sei. A piada é velha. Mas não resisti. Combina direitinho com você. Obrigado pela entrevista.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Pérolas do Apagão

Brasileiro é um artista na arte do sarcasmo com seus próprios problemas. O apagão de ontem já gerou milhares de "pérolas" que foram publicadas no twitter. Veja algumas :


"O que o povo da Uniban não faz para impedir o pessoal de ver as pernas da Geyse..."
"Foi só o FHC aparecer, que #apagao de novo"
"Xingar a Itaipu é fácil. Quero ver fazer rimas com a furnas."
"O Vasco é patrocinado pela Eletrobrás. Fiquei com medo..."
"O Brasil passa por um momento Odvan"
"Bomba ! Corinthians contrata Riquelme com o dinheiro arrecadado no #apagao"
"Bad bad Itaipu ! No donuts for you"
"Celesc garante que apagão não vai Evaloir para Blumenau"
"Compram energia elétrica do Paraguai. Queriam o quê ?"

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Memória curta

É sabido que brasileiro tem memória curta. Então para relembrar o processo em que o Pizzolatti está envolvido. Só podemos dar nossa resposta nas urnas.

CASO DO MENSALÃO

Pizzolatti depõe na quinta-feira

A Justiça Federal marcou novos depoimentos de deputados federais que foram arrolados como testemunhas de defesa dos réus do mensalão. O deputado catarinense João Pizzolatti (PP) e o paulista Celso Russomano (PP) foram foi intimados a comparecer na quinta-feira.

A denúncia sobre o mensalão chegou no Supremo em abril de 2006 pelas mãos do ex-procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza contra 40 suspeitos de participarem de um suposto esquema de compra de votos de parlamentares. Em agosto de 2007, os ministros do STF acataram a denúncia e transformaram os suspeitos em réus.

Link : http://www.clicrbs.com.br/jsc/sc/impressa/4,181,2711428,13486

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Cielo Residencial - Frechal

A Frechal lança mais um edifício no sistema construtivo TEC3, que utiliza apenas blocos de concreto para erguer a obra.

Este lançamento fica numa transversal da Rua Estanislau Schaette, próximo a sinaleira com a Rua General Osório.

O prédio terá apartamentos de 2 e 3 dormitórios, e é praticamente igual aos demais lançamentos da Frechal.

O que não consigo entender é como conseguiram liberação para erguer uma torre de 15 andares na área onde é permitido 12 pavimentos. Vai saber.

Essa obra consolida a parte alta do bairro Água Verde como destino de novos empreendimentos. Naquela região a Torresani já ergue o Residencial Riviera e a CR7 já tem erguido o Chateau La Bastide. É uma tendência. Veremos edifícios espalhados pelos bairros mais altos, livres de enchente.



Este sistema construtivo não utiliza colunas e é ecologicamente mais correto do que a construção convencional, porém tem limite de 15 pavimentos.

O problema é o design das torres, verdadeiros "blocões" quadrados, variando apenas a cor da pintura. A Frechal agora só constrói por este sistema.

Será que não tem como ousar um pouco mais no design dos edifícios ?

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Portal de Treze Tílias



Lindo o portal de entrada da cidade de Treze Tílias !

E Blumenau, onde tem um portal de entrada decente para nossa cidade, que se diz turística ?

Nem um mísero portal de entrada nossa Prefeitura ou nossa Secretaria de Desenvolvimento (?) Regional conseguiu até hoje... é bem possível que os turistas ainda caiam no buraco camuflado por plantas no trevo do Sesi.

E depois querem atrair turistas pra cá.... pois sim....

Moradias

Após 1 ano da tragédia de 2008, a Prefeitura de Blumenau e a Caixa Econômica Federal assinaram dia 30/10 a ordem de serviço para a construção de 1.028 moradias definitivas, por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida. As unidades, destinadas aos atingidos pela tragédia de novembro passado, devem suprir a demanda das famílias que estão em complexos de moradias provisórias (cerca de 300 famílias) e ainda beneficiar os desalojados que estão na casa de amigos e parentes.

As moradias, serão destinadas a famílias com renda entre 0 e 3 salários mínimos atingidas pela tragédia de novembro passado e que realizaram o Cadastro Único do Cidadão Atingido. O número inicial era de 1.156 unidades, mas fechou em pouco menos, 1.028.

As outras moradias, que totalizarão as duas mil unidades previstas para construção, serão assinadas já nos próximos convênios. As empresas responsáveis pela construção (Sulbrasil, Piastra e Bairro Novo) já foram selecionadas e com a ordem de serviço estarão habilitadas para iniciar as obras.

As construções serão realizadas em cinco dos 10 terrenos adquiridos pela Prefeitura no mês de abril deste ano. Os recursos para compra dos terrenos são oriundos das doações vindas de todo país ao Fundo Estadual de Defesa Civil e foram repassados à cidade por meio do Governo do Estado.

Os terrenos selecionados para as primeiras moradias são na rua Botuverá, bairro Itoupavazinha, rua Hermann Tribess, no Tribess, rua Rudolfo Walter, na Itoupava Central e dois terrenos na rua Mathias Bornhofen, no Passo Manso.

As famílias beneficiadas poderão financiar o imóvel em até 10 anos, com prestações que não ultrapassem 10% de sua renda. Além disso, não é necessário o pagamento de parcelas antecipadas (entrada), nem pagamentos enquanto acontecem as obras.



Perspectiva das primeiras moradias

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Projeto na Rua das Palmeiras

O Grupo LN da cidade de Curitiba pretende erguer no local do antigo estádio do BEC um audacioso projeto, com um edifício comercial, um edifício residencial e um centro comercial, conforme podemos visualizar na primeira imagem de perspectiva do projeto :



Esse projeto já tem a aprovação do Patrimônio Histórico de Blumenau, e contempla também o prolongamento da rua Amazonas até a Alwin Schrader, que será executado pela LN como obra compensatória para os impactos na região.

Seria maravilhoso para a cidade se não fosse um detalhe para atravancar todo o processo de tirar aquela área hoje decrépita e decadente para uma área moderna e desenvolvida : uma ladainha judicial !

A LN arrematou a área do estádio do BEC legalmente. Quando ela finalmente apresenta um projeto decente para a região, vem a Secretaria de Desenvolvimento Regional (que de desenvolvimento para mim não tem nada) e "lembra" que parte do estádio foi doado pelo governo estadual para erguer o estádio. Agora tentam judicialmente retomar a área. Pergunto : só agora ?? Por que não impediram o leilão ? Porque agora tem um projeto bom para a região e vai ter dinheiro na jogada ??

E o pior : a SDR vem com a conversa fiada de devolver a área para a população da cidade e fazer um parque. BALELA pura !!!!!

Digo uma coisa : se afugentarem a LN de Blumenau, aquela área estará condenada para sempre !! Nem a SDR nem a Prefeitura vão reformar e fazer parque algum naquele lugar. O lugar vai continuar decrépito e moribundo por mais 50 anos !!!

Definitivamente, alguém precisa desenterrar a caveira de burro que tem naquele lugar ! Nada dá certo naquela região : vide o exemplo do edifício América e agora o imbróglio do estádio do BEC.

Blumenau não merece. Blumenau não precisa de incompetentes na SDR para espantar investimentos e desenvolvimento para nossa cidade. Política e desenvolvimento são antônimos, e isso ficou mais do que comprovado agora.

Tomem vergonha na cara, bando de incompetentes !!!

Pronto, falei !

Edifícios Angra dos Reis e Cabo Frio - Torresani

Ainda na linha de lançamentos habitacionais na cidade, a Torresani lança na Vila Nova, bem no final da rua Casemiro de Abreu (rua da Apae) os edifícios Angra dos Reis e Cabo Frio. Apesar de idênticos, eles tem condomínios separados, e possuem salão de festas, fitness e piscina independentes para cada bloco.

Tem opções de apartamentos de 3 suítes, 3 quartos com 1 suíte e 2 dormitórios. Além das coberturas duplex com piscina individual.

Sem dúvida um belo projeto. Vai revitalizar o final da rua da Apae. Note que a construtora fará uma rótula e reurbanização no final da rua. A Vila Nova está com belos projetos.








Edifício Campo Bello - Speranzini

A Construtora Speranzini lança mais um empreendimento no bairro Itoupava Norte. Particularmente achei o empreendimento muito interessante, e confirma a vocação da região norte da cidade para novos projetos.

Aquela região da Itoupava Norte poderia tranquilamente ter limite de altura liberado. Esta obra é um exemplo, pois fica num terreno grande na rua Siderópolis, e poderia ter uns 25 andares. Hoje ela ficou limitada pelo Plano Diretor atual, de apenas 12 andares.


Vão ser todos apartamentos de 3 suítes, 4 apartamentos por andar. A planta é interessante :


terça-feira, 3 de novembro de 2009

Shopping Park Europeu

É animador ver que o projeto do Shopping Park Europeu está em andamento. O terreno na via expressa está cercado, e os projetos de Estudo de Impacto de Vizinhança estão a pleno vapor na Prefeitura. Tomara que as alterações no Plano Diretor que são necessárias para a viabilidade da construção sejam votadas logo.

O novo projeto ficou lindo, conforme perspectivas abaixo :




Para o Shopping Park Europeu serão 196 lojas satélites, 17 opções de alimentação e 2 restaurantes, 12 mega lojas, 6 lojas âncoras (sendo que no projeto atual, o hipermercado, está incluso como âncora), 5 salas de cinema, playground, e 2.089 vagas de estacionamento, sendo que 1.152 serão no subsolo, 88 no térreo (vagas descobertas), 414 no 4º.pavimento, e 435 no 5º. pavimento (vagas descobertas).
O imóvel de implantação é o mesmo com área documental de 40.936,56 m², localizado na Itoupava Norte, Rua Vereador Hebert Schweigert – Marginal da Via Expressa.

Se tudo der certo, ele será aberto para o público no segundo semestre de 2011. Vai bater de frente com o Blumenau Norte Shopping, que tem previsão de abertura para Abril de 2011.

Será que vai ter tanto lojista para tanta loja nova ? Concorrer com o Grupo Almeida Júnior é sempre complicado. Pessoalmente torço para o sucesso de ambos ! Mais empregos, mais qualidade de vida !

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

E a carapuça caiu !

A ginasta Daiane dos Santos nunca me convenceu de que era um fenômeno como a mídia fez acreditar no período das Olimpíadas, onde a Globo descaradamente puxava o saco da menina. Não conseguia entender o motivo dessa minha desconfiança. E ela nos decepcionou naquele evento.

A notícia de hoje não me causa espanto, e revela o porquê de algumas conquistas dela :

Daiane dos Santos é flagrada por doping
Ginasta se submeteu a exame fora de competição, em julho deste ano
GLOBOESPORTE.COM
Lausanne, Suíça

Daiane Dos Santos foi flagrada em um antidoping realizado em julho deste ano. A Federação Internacional de Ginástica (FIG) divulgou, nesta sexta-feira, que o exame da ginasta brasileira deu positivo para a substância proibida furosemida.

O site da FIG informa que Daiane já foi notificada, e que o caso foi submetido à comissão disciplinar da entidade. A ginasta tem até o dia 13 de novembro para pedir uma audiência e dar suas explicações.

A furosemida é um diurético e faz parte da lista de substâncias proibidas pela Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) por ser considerada um agente mascarante, ou seja, que dificulta a constatação nos exames antidoping de esteroides e outras substâncias dopantes.


http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Mais_Esportes/0,,MUL1360885-16317,00-DAIANE+DOS+SANTOS+E+FLAGRADA+POR+DOPING.html


É, Daiane, a carapuça caiu pra tí !!!!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Plano Diretor de Blumenau


De acordo com a última audiência pública realizada pela Prefeitura de Blumenau sobre as alterações das diretizes de ocupação do solo em Blumenau, no dia 14 de outubro, pode-se chegar a algumas conclusões :

1) Blumenau vai modernizar seu plano diretor de ocupações, até de forma radical, em parte provocada pelas catástrofes de novembro de 2008;

2) O crescimento vai ser definitivamente direcionado para o norte;

3) Cai o limite de altura dos prédios da cidade, até então limitado em 15 andares. Esse é um ponto no qual representa a maior queda de paradigma. Se os recuos permitirem, nada impede que se construam edifícios de 25, 35 ou 40 andares na cidade. Quanto maiores os terrenos, mais alto pode-se construir. Isso é muito positivo, pois na região norte estão os maiores terrenos, e veremos arranha-céus na Itoupava Central, Passo Manso, Badenfurt, Itoupava Norte. Definitivamente Blumenau caminha para ser uma metrópole. Vai atrair muitas construtoras fortes da região sul, e quem sabe, até do sudeste. Quanto mais concorrência, preços mais justos na área imobiliária.

Espero que essas alterações sejam logo sancionadas. Precisamos crescer mais !


Show de rock movido a energia solar

Florianópolis foi o palco do primeiro show de rock movido 100% a energia solar realizado no Brasil

A iniciativa da entidade ambientalista Greenpeace, em parceria com o Labsolar (Laboratório de Energia Solar da Universidade Federal de Santa Catarina), foi inspirada em experiências semelhantes realizadas com sucesso na Austrália e na Europa.

O show Brasil Solar aconteceu no dia 15 de novembro de 1998, no campus da Universidade Federal de Santa Catarina. O grupo mineiro Jota Quest foi a atração principal. Dazaranha, Stonkas & Congas e Valdir Agostinho, bandas de Florianópolis, fizeram a abertura do evento. A experiência serviu para divulgar o potencial da energia solar para gerar eletricidade para as mais diferentes aplicações.

O objetivo do Brasil Solar é popularizar a energia limpa e renovável que vem do sol. A energia solar é uma das melhores alternativas aos combustíveis fósseis poluentes, que geram alterações no clima do planeta e provocam danos à saúde.

"O show demonstrou as duas principais aplicações da energia solar fotovoltaica", explica Ricardo Rüther, do Labsolar. Junto ao palco, foi montado um sistema autônomo de ~5kW de potência (~50m2 de placas fotovoltaicas), para abastecer de energia elétrica parte da demanda de energia. O sistema conectado à rede elétrica, de 2kW de potência, que o Labsolar vem operando desde 1997, forneceu a energia complementar, possibilitando, assim, um show 100% movido a energia solar!

"A grande novidade do show Brasil Solar é que conseguimos reunir, em um só evento, cultura, inovações tecnológicas e preservação da natureza", diz Délcio Rodrigues, Coordenador de Campanhas do Greenpeace. "Demonstrar que a energia solar é uma alternativa viável e não poluente", completa.

Como funciona...

A energia utilizada no show é proveniente do sol, transformada em energia elétrica pelos painéis fotovoltaicos, construídos com cristais de silício. Essa tecnologia permite captar a luz do sol e transformá-la em energia elétrica. Para cada hora de show, será economizada energia equivalente ao consumo de dez residências, ou 112 kWh.

O sistema autônomo é composto pelas placas fotovoltaicas e um banco de baterias, onde se armazena a energia coletada pelas placas (pois o show não pode parar se uma nuvem passar por sobre o palco ou se o dia for nublado!), sendo completamente independente da rede elétrica convencional.

Já o sistema conectado à rede elétrica funciona de forma distinta: ele usa a rede elétrica como bateria, injetando nela toda a energia elétrica gerada pelas placas solares (o que dispensa o uso das baterias convencionais, já que a rede elétrica pública atua como uma gigantesca bateria), como se o sistema fosse uma mini-usina geradora, em paralelo às grandes usinas hidrelétricas (como Itaipu, por exemplo). Como este sistema já vinha injetando energia na rede desde setembro de 1997, o "crédito" em energia acumulado até o dia em que foi realizado o show era muito superior à energia necessária para a sua realização. É esse crédito que garantiu um show totalmente solar.

Numa residência onde a rede elétrica convencional não chega (uma fazenda, por exemplo), um sistema autônomo, que requer um banco de baterias para se ter energia à noite e nos dias nublados, pode satisfazer todas as necessidades energéticas que a vida moderna impõe.

Em residências urbanas, por outro lado, o sistema conectado à rede elétrica é o mais apropriado, já que ter a rede elétrica convencional ao alcance significa não depender das baterias, que ainda são bastante caras e pesadas. No sistema conectado à rede elétrica, toda a energia que é gerada pelas placas (e não é consumida) é injetada na rede elétrica (o relógio contador anda para trás e o consumidor acumula um crédito). À noite, quando as placas não geram nenhuma energia, aquele crédito acumulado durante o dia é então utilizado. Sem poluição, ruído ou peças móveis, e de forma renovável, a energia solar fotovoltaica já pode suprir todas as nossas necessidades energéticas.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Novos radares em SC

Santa Catarina vai ganhar 204 equipamentos de fiscalização eletrônica a partir de 2010. Destes, 112 serão do tipo "pardal" e 82 do tipo "lombada eletrônica.


Pessoalmente acho que os pardais são dispensáveis. Prefiro que a Polícia Rodoviária amplie as ações com o radar móvel, pois as pessoas que geralmente usam a rodovia já sabem a posição dos pardais, e vão continuar andando acima do limite. E pior: pressionando e xingando os motoristas que não conhecem os locais dos pardais e que com isso andam no limite correto da rodovias. Isso sem falar na total falta de bom senso de quem coloca alguns limites de velocidade em alguns trechos de rodovia. Colocam 40 km/h em alguns pontos de reta. Aposto minhas fichas que nesses locais vão colocar os pardais.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Arnaldo Jabor - Quando acaba...

Sempre acho que namoro, casamento, romance, tem começo, meio e fim.
Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa:
' -Ah,terminei o namoro...
-Nossa, estavam juntos há tanto tempo.....
-Cinco anos...que pena...acabou....
-é...não deu certo...'


Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes voce não consegue nem dar cem por cento de voce para voce mesmo, como cobrar cem por cento do outro?
E não temos essa coisa completa.
Às vezes ela é fiel, mas é devagar na cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é muito bonita, mas não é sensível.
Tudo junto, não vamos encontrar.
Perceba qual o aspecto mais importante para voce e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.
E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...
Acho que o beijo é importante...e se o beijo bate...se joga...se não bate...mais um Martini, por favor...e vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não brigue, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvidas, problema dela, cabe a você esperar.... ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob pressão?
O legal é alguém que está com você, só por você.
E vice versa.
Não fique com alguém por pena.
Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói.
Muitas vezes voce vai sentir raiva, ciúmes, ódio, frustração.....
Faz parte. Você convive com outro ser, um outro mundo, um outro universo.
E nem sempre as coisas são como você gostaria que fosse....
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
E nem todo sexo bom é para descartar... Ou se apaixonar... Ou se culpar...
Enfim...quem disse que ser adulto é fácil ?????'

Versões sobre o mesmo tema

Veja como seria se a história da Chapeuzinho Vermelho fosse contada por cada órgão da nossa imprensa:


JORNAL NACIONAL:
(William Bonner):
- Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um lobo na noite de ontem?
(Fátima Bernardes):
? Mas a atuação de um caçador evitou uma tragédia.

PROGRAMA DA HEBE:
- Que gracinha, gente.
- Vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo?

SUPERPOP:
(Luciana Gimenez):
- Gente, incrível!
- Vocês viram a história da menina que foi retirada da barriga de um pombo? Incrível, eu não consigo acreditar?

CIDADE ALERTA:
(Datena):
- Onde é que a gente vai parar? ? Cadê as autoridades? Cadê as autoridades?
A menina ia para a casa da avozinha a pé!
Ou seja, não tem transporte público! ? Não tem transporte público!
E foi devorada viva?. Um lobo, um lobo safado. Põe na tela! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo não.

GLOBO REPÓRTER:
(Na primeira sexta-feira logo após o acontecido)
(Sérgio Chapelin):
- A natureza feroz. Uma batalha selvagem. Os animais que atacam pessoas. Será possível domar estas criaturas? Nesta edição do Globo Repórter você vai conhecer os animais que se alimentam de carne humana. E mais: como evitar os seus ataques; que atitude tomar se você estiver cercado por feras; e a incrível história da garota salva da barriga de um lobo por um lenhador?

REVISTA VEJA:
Lula sabia das intenções do lobo.

REVISTA CLÁUDIA:
Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho.

REVISTA MEN´S HEALTH:
Vinte exercícios para ter um bíceps de lenhador! 10 dias para perder a barriga!

REVISTA NOVA:
Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama.

JORNAL DIARINHO:
Lobo safado se dá mal após tentativa de matar a larica com a ninfetinha do bosque.

FOLHA DE S. PAULO:
Legenda da foto: Chapeuzinho, à direita, aperta a mão de seu salvador.
Na matéria, box com um zoólogo explicando os hábitos alimentares dos lobos e um imenso infográfico mostrando como Chapeuzinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.

O ESTADO DE S. PAULO:
Lobo que devorou Chapeuzinho seria filiado ao PT.

O GLOBO:
Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT que matou um lobo pra salvar menor de idade carente.

ZERO HORA:
Avó de Chapeuzinho nasceu no RS?

AQUI:
Sangue e tragédia na casa da vovó.

REVISTA CARAS:
(Ensaio fotográfico com Chapeuzinho na semana seguinte)
Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS:
- Até ser devorada, eu não dava valor para muitas coisas da vida. Hoje sou outra pessoa.

PLAYBOY:
(Ensaio fotográfico no mês seguinte)
Veja o que só o lobo viu.

REVISTA ISTO É:
Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente.

REVISTA ÉPOCA:
Herói nacional ? a história do lenhador que salvou uma menina da barriga de um lobo raivoso.

REVISTA CAROS AMIGOS:
Entrevista ?bombástica?: Lobos estão sendo vítimas de preconceito em todo o país.

REVISTA CONTIGO:
Chapeuzinho pode ser estrela da Globo em próxima novela das 6.

G MAGAZINE:
(Ensaio fotográfico com lenhador)
Lenhador mostra o machado.

SUPER INTERESSANTE:
Lobo mau! Mito ou verdade?

DISCOVERY CHANNEL:
Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e sobreviver.

ROLLING STONE:
Lobo Mau ? A ascensão e a queda do cão pop.

Artigo

Hoje li um artigo interessante no Terra. Segue a íntegra :

Por que as mulheres fazem sexo ?
Autor : Marcelo Carneiro da Cunha

Link : http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI4029918-EI8423,00-Por+que+as+mulheres+fazem+sexo.html

Pois não é que o mundo conspira? Bem na hora que sai um livro que finalmente explica a misteriosa razão por trás da decisão que cada mulher toma na hora em que resolver que agora vai, o G-7 vira G-20, um tufão acerta em cheio a Indonésia, o mundo sacode e o Brasil vira sede das Olimpíadas de 2016 com o Lula chorando em todas as primeiras páginas, universo a fora.

O resultado é que o que era para ser o grande assunto da semana, do mês, da década, capa da Veja com alguma manchete esculhambando com o Lula (afinal, para a Veja, a culpa por tudo que se move sobre a Terra, sempre é de quem mesmo?), o enorme assunto e a revelação que finalmente trouxe alguma luz para esse mistério que nos persegue há séculos, passou despercebido.

Até agora. Porque, na solene tradição dessa coluna, de sempre, mas sempre mesmo trazer a todos o que realmente importa, vou aqui e em público revelar a resposta para um mistério tão, mas tão incompreensível que deixa os de Fátima no chinelo. Portanto, por favor, removam as crianças da frente desse site e aqui vai:

Por que as mulheres fazem sexo ?

O livro é dos pesquisadores Cindy Meston e David Buss, e segue a norma mundial das publicações de pesquisas sobre mulheres: a) tenha sempre ao menos uma pesquisadora na turma e b) tenha vários PH.D antes de falar qualquer coisa sobre um tema tão explosivo. O livro reúne ambas condições, e portanto, pode ser lido sem maiores temores.

Se chama "Why women have sex - understanding sexual motivations, from adventure to revenge, and everything in between" e nos tranquiliza ao nos informar que existem 237 razões pelas quais as mulheres fazem sexo.

Caramba! E nós que pensávamos que havia uma, apenas uma, nada mais do que uma, e era a única e se chamava AMOR!! Não vinha daí a superioridade das mulheres sobre os homens? Enquanto a gente fazia sexo pelos motivos mais baixos entre os baixos, de acordo com a nossa natureza selvagem e promíscua de seres inferiores, as mulheres transavam por amor. Se isso não é verdade, se mais esse mito foi por água abaixo, mas o que nos resta?

237! Isso parece um Kama Sutra motivacional, minha gente. Eu nunca acreditei no Kama Sutra. Nunca me pareceu razoável que alguém se dispusesse a se colocar na posição "lótus enfia o dedo do pé na narina da amada" sem sair disso com a alma abandonando o corpo e a lombar em frangalhos. Eu sempre calculei o número total de posições como algo entre duas e cinco, sendo que pelo menos três delas me pareciam nada mais do que exagero de adolescentes. Agora me informam, e eu obedientemente repasso a todos os leitores da coluna, que as mulheres têm 237 motivos para fazer sexo. Que a minha avó Jovita jamais saiba disso.

Basicamente, se eu entendi o que o livro diz, as mulheres são seres frios e calculistas e que fazem sexo pelos motivos mais interesseiros do planeta.

Elas transam pra ganhar um emprego ou para processar o chefe na seqüência. Para assegurar uma boa carga genética para o pimpolho, ou para assegurar uma boa barriga de tanquinho para a sua cama. Para mostrar para o mundo que ela é a maior deusa do sexo que a Terra ainda não conheceu. Para deixar claro ao seu homem quem é que manda. Para deixar claro ao seu homem que ela gosta mesmo é do vizinho do 602. Para deixar claro ao vizinho do 602 que ela é uma mulher casada, bem casada, e que isso é apenas um momento junto à parede do corredor, para ambos. Para obter alguma vantagem acadêmica. Para ganhar o prêmio Nobel, ou ao menos uma dor agradável nas costas. Para se sentir bela e desejada. Para fazer aquela vadia do Contas a Pagar se sentir um traste, porque é ela quem pega o gatão do RH. Para se alimentar melhor. Para queimar calorias de um jeito um teco mais interessante do que duas horas na esteira vendo o GNT. Para ganhar presentes caros. Para ganhar presentes baratos. Para produzir endorfina e se livrar da enxaqueca. Para ter algo mais divertido na hora do almoço do que passar uma hora no bufê de quilo perto da empresa.

Quantas já foram? Puxa, ainda faltam várias. Em quantos os estimados leitores e leitoras podem pensar e quantos podem adicionar a essa lista?

Para nós, homens, fazer sexo sempre foi algo simples e compreensível. Sempre fizemos sexo porque sim e agora, quanto mais agora melhor. Era arriscado deixar pra depois, porque cada saída da caverna podia representar o nosso encontro com o Criador, ou, pior, com um destruidor cheio de dentes e com uma apreciação especial pelo nosso lombo.

Com a nossa sensibilidade masculina, sempre soubemos que sexo era algo capaz de nos tirar da dureza cotidiana e nos remeter para um mundo bem mais interessante, ao menos por alguns segundos, antes dos nossos orgasmos. Todos sabem que a rapidez do orgasmo masculino está ligada ao fato de sabermos que ali do lado de fora poderia haver um tigre de dente de sabre, uma onça ou um marido à espreita.

Somos seres simples e resultantes da Evolução. Somos darwinianos, acima de tudo, e queremos espalhar nossa sementinha pelo mundo, ou pelo maior número possível de mulheres, enquanto temos tempo e energia, se me entendem.

As mulheres não têm essas pressas ou essa clareza.

Assim, eu, você, o senhor aqui ao lado, sempre nos pegávamos pensando, o que afinal se passava na cabeça de nossa amada, ou desejada, salve, salve, naquele restaurante caríssimo para onde a tínhamos levado, na esperança de a noite terminar em uma troca justa? Ela estava a fim, ou aquele olhar era para a pizza? Ela se sentia curiosa a nosso respeito, mas ainda não pronta para saber mais sobre uma partezinha essencial da nossa identidade masculina? Ela queria desesperadamente o nosso corpo, mas ainda não estava preparada para se entregar a essa paixão, ou estava entediada o bastante com a nossa conversa para pegar no sono ainda no carro, enquanto lidávamos com a frustração e ficávamos pensando em quantos jantares mais, antes de alguma coisa finalmente acontecer e o amor reinar?

Agora ficamos sabendo que não era nada disso, não era amor, nunca foi. Era outra coisa, outras 237 coisas, nenhuma delas a que a gente imaginava, ou torcia para que fosse.

Na verdade, era, sempre foi, sempre vai ser, ela mesma. Ela não está pensando no nosso coração vagabundo, mas sim se ela por acaso escolheu a lingerie certa. Se a resposta interna for sim, sim. Se achar que errou justamente porque a renda da perna não combina com o prendedor de cabelo, vocês vão ter um final de noite bem mais melancólico do que você esperava. Ela está pensando no que precisa fazer no outro dia e se pode se auto destruir um pouco com você e ainda se sentir uma deusa diante do espelho na manhã seguinte. Caso sim, sim. Caso não, azar o seu. Se ela justamente hoje esqueceu de se depilar, esqueça. Se uma unha lascou durante a sobremesa, ela está se sentindo um caco e precisa de um pote de sorvete e de umas duas horas de Sex and the City pra se recompor. Se existe uma coisa nesse instante de que ela não precisa, é de você.

Você, pobre homem, pobre patinho, está diante de um sistema muito mais complexo do que o seu na hora de fazer as suas escolhas, e que ainda, por tragédia, sente um enorme prazer quando diz não.

Não pense no agora, quando vocês dois se tornaram seres iguais diante da lei. Pense nos milhões de anos, desde a pedra lascada até o tevê de plasma, em que cada um de vocês precisou lidar com a dureza do mundo com os recursos de que cada um dispunha. Você, saindo da caverna, podia acumular bens trocáveis. Para ela, que ficava ali dentro inventando a pintura rupestre com as amigas, havia apenas um bem de troca. Ela aprendeu a utilizá-lo da melhor maneira possível para quem vivia em cavernas, e ainda não mudou tanto assim desde que passamos para apartamentos da Cyrela, com 2,3 filhos e férias no Guarujá.

Somos todos resultado do nosso passado, mais do que do presente, menos do que do futuro. Eu até acho que os 237 motivos serão bem menos daqui a um tempo. Nesse dia, e finalmente, as mulheres e seus motivos talvez se tornem compreensíveis, ou ao menos passíveis de serem contados usando apenas os nossos dedos dos pés e mãos. Eu gostaria de estar por aí para ver, mas como me conformei em viver apenas 250 anos, acho que vou ter que deixar essa experiência para vocês, jovens. Aproveitem. Eu sou daqueles que acreditam que o mundo é melhor quando mais simples, mais simples quando mais redondo, melhor quando mais humano. A ele todos, e boa sorte.