Coplan aprova altura máxima de 6 andares para o bairro Bom Retiro

A Prefeitura de Blumenau vai encaminhar à Câmara de Vereadores, em novembro, a proposta de revisão do zoneamento do bairro Bom Retiro. Entre as alterações está o limite da altura máxima dos prédios em 18 metros – o equivalente a seis andares, e a transferência do potencial de patrimônio – uma iniciativa inovadora em Blumenau e em Santa Catarina. As mudanças foram propostas e aprovadas pelo Conselho de Planejamento Urbano (Coplan), atendendo reivindicações dos moradores e considerando a preocupação da administração municipal com a descaracterização do bairro.
A altura máxima de 18 metros para os edifícios parte da ideia de um cone a partir das ruas Hermann Hering, Floriano Peixoto e Gertrud Gross Hering, mantendo as características da região. Esse cone parte de uma altura de 12 metros (4 pavimentos) e recuo de 4 metros. A altura máxima de 18 metros é com recuo de 12 metros.
Porém, as edificações podem atingir altura de 21 e 24 metros - que correspondem a 7 e 8 pavimentos, desde que obedecido o recuo de 16 e 20 metros, respectivamente. Isso será possível através da transferência do potencial construtivo dos imóveis tombados pelo Patrimônio Cultural Edificado. Ou seja, essa mudança incentiva os proprietários de imóveis tombados a vender o potencial construtivo a que têm direito. Dessa forma, eles obtêm rendimentos, para preservar as referidas edificações.
Para incentivar essa transferência, o Coplan aumentou o índice máximo do Bom Retiro de 2,4 para 3,2. Com a transferência, o empreendimento pode ser aumentado em dois pavimentos (7◦ e 8◦ andares) e em 0,8 o coeficiente de aproveitamento (o aumento do índice foi proposto e aprovado pelo Coplan). A meta é manter as características de um conjunto de edificações tombadas e preservar a paisagem local desse vale estreito, com vegetação exuberante e edificações não tão altas. O Bom Retiro tem 24 imóveis de interesse histórico.

Fonte: Prefeitura de Blumenau

3 comentários:

Anônimo disse...

Boa Noite Charles,
E como ficam os projetos já aprovados e com as construções já iniciados?

Charles Ringenberg disse...

Boa pergunta ! Não sei como ficará a situação do Ingo Hering Residenz e do Residencial Pablo Neruda, que já tinham sido aprovados e tiveram as obras paradas.
Já os projetos que tinham entrado recentemente, os dois prédios de 18 andares da Torresani e o de 19 andares da Raymundi terão de seguir as novas regras, ou seja, ter no máximo 8 andares se tiverem a outorga onerosa, caso contrário, 6 andares apenas.

Anônimo disse...

Quem desejar, tenho potencial construtivo à venda.
e-mail: fhblumenau@gmail.com