quarta-feira, 12 de julho de 2006

Humor corporativo

Lendo o site Noticenter, achei este artigo humorado que mostra como o brasileiro é palhaço. O único que acha graça de verdade neste artigo é o Governo. Leia abaixo :

"Por Carlos Tonet

Nem pense em sequer tentar fugir. Onde quer que você vá, o governo vai perseguir você como se fosse um serial killer dos impostos. Atento, furtivo, sempre à espreita, o governo começa a ganhar dinheiro às suas custas logo de manhã cedo, assim que você acorda. É impossível escapar. Você acha que consegue fazer alguma coisa sem pagar imposto? Engano seu. Se você sair da cama direto para o banheiro, saiba que 40,50% do custo do papel higiênico que você usa correspondem aos impostos. Mas você é durão, não é mesmo? Não quer dar o braço a torcer e pensa em substituir o produto. Não adianta. A esponja de aço embute impostos de 44,35%. Isso corresponde a um aumento de 9,2%. Saponáceo e detergente (40,50% cada) pagam menos impostos, mas talvez não ofereçam a mesma eficiência. O mesmo acontece com o desinfetante e a água sanitária, que embutem taxas de 37,84%. Você pode até pagar menos imposto, mas vai gastar mais em mão de obra.

Você insiste e não pagar imposto e então vai direto para o chuveiro. Nada feito. A energia elétrica que você consumir vai render ao governo 45,81% em impostos. Ok, você vai tomar banho frio? Temos aí um pequeno problema. Você pode ficar resfriado (um xarope para a tosse rende 36,00% em tributos). Além disso, a água paga 29,83%.

E você não vai querer ir para o trabalho pingando sobre o carpete da empresa, certo? Mas o governo cobra imposto também sobre a toalha. Secar-se com o ventilador não compensa. Você estará repassando 43,16% de impostos ao governo. É melhor ficar com a boa e velha toalha, que vai render ao Lula exatos 36,33% em impostos. Ou seja: 19% menos que o ventilador.

Derrotado já nessa primeira etapa, você se dirige à cozinha. Digamos que você se recuse a usar a torradeira (45,89% de impostos) e o microondas (56,99%). Você no mínimo vai ter que usar o fogão. E um fogão de quatro bocas embute impostos no valor de 39,50%. A idéia de usar o ferro de passar roupa para fritar ovos não é boa. Você estaria pagando mais impostos (44,35%).

Mas há um aparente consolo em tudo isso. Se você olhar bem, vai perceber que o governo pelo menos está preocupado com a sua saúde. Veja: o imposto sobre a cachaça é de 83,07%, enquanto a água mineral paga 45,11%. Uma brutal diferença de 84,06%. Cada latinha de cerveja que você toma rende ao governo 56% de impostos. Mas se você tomar um, copo de suco, esse percentual cai para 37,84%. A redução é significativa: cerca de 52%. A margarina, que tem inúmeros componentes químicos, rende ao governo 37,18% em tributos. Mas uma fruta paga apenas 22,96%. O maior problema, nesse caso, reside em descobrir qual seria o jeito certo de passar uma banana amassada no pão. O governo atua firme também na campanha anti-fumo, taxando o cigarro em 81,68%. Seja esperto. Troque o cigarro por um copo de leite e pague apenas 19.24% em impostos. E provoque um rombo de 324% nas finanças governamentais.

DICAS INÚTEIS PARA BURLAR O FISCO

Até agora a gente viu que o governo é como se fosse sócio de cada um de nós, faturando polpudas fatias de tudo o que ganhamos. Talvez seja realmente impossível fugir dos impostos. Mas, de acordo com nossos especialistas, pode-se encontrar brechas no dia-a-dia para burlar o fisco. Basta ter paciência e criatividade. Vejamos o caso do fogão de quatro bocas. Como já vimos, ele paga 39,50% em impostos. Nesse caso, você pode minimizar as coisas. Faça o seguinte: use somente uma boca do fogão. Serão apenas 9,87% de impostos. Uma economia de 75%. Vá além, seja criativo. A água que ferve para o café pode ser a mesma para cozinhar um ovo.

Voltemos ao chuveiro. Você viu que a carga tributária sobre a água é de 29,83%. Então, faça o seguinte: conte quantos buraquinhos tem no seu chuveiro e tape a metade deles. Só aí, você economiza 50% em impostos. Notícias (ainda não comprovadas) dão conta de que em Rodeio, Benedito Novo e Nova Trento alguns consumidores conseguem economizar até 90%.

Em alguns casos, a própria natureza ajuda você a pagar menos impostos. É o caso do xampu (52,33%) e do condicionador (44,01%). Se você está ficando careca, a economia em pagamento de impostos virá de forma progressiva. Esperidião Amin, por exemplo, obteve a isenção total. O governador Luiz Henrique, por sua vez, obtém uma economia média mensal de 70%. E poderia obter uma redução ainda maior, de até 80%, se não usasse bigode. Já o senador Leonel Pavan, com aquele cabelo todo, é o caso típico de um perdulário, enquadrado na faixa de consumo máximo.

Para o governo, todos nós somos pagadores ambulantes de impostos. Não importa o que você faça durante o dia. A cada cinco ou dez minutos, você paga um imposto, seja usando um copo descartável no bebedouro da empresa, seja tomando um cafezinho no refeitório. E o ciclo recomeça no dia seguinte, bem cedo, no banheiro da sua casa.

E por falar em banheiro, é bem possível que, antes mesmo de chegar ao final deste artigo, você tenha pensado num modo de substituir o papel higiênico por um produto de igual eficiência e com carga tributária menor. Não adianta ficar animado. Eu esqueci de dizer uma coisa lá no começo: o imposto sobre o vaso sanitário é de 44,11%.
"

Um comentário:

Iu disse...

huahuhuahuhua
É incrível!!!
Foi escrito um email com o nome correto do Buger, mas eles não tem capacidade de copiar e colar. Tem que inventar como se escreve da cabeça deles!!! IMPRESSIONANTE!!!